Tem candidato ao Senado com menos de 7 segundos na TV em Alagoas
   10 de agosto de 2018   │     19:22  │  0

Essa será, dizem muitos analistas, as eleições das redes sociais. Para alguns candidatos é bom que seja mesmo. As regras de distribuição do tempo no horário eleitoral gratuito do rádio e TV vai desafiar a criatividade de quem precisa levar sua mensagem ao eleitor.

Lembra do Enéas? Ele tinha 15 segundos e conseguiu fazer milagre ao criar o bórdão “meu nome é Enéas”.

Alguns dos oito candidatos ao Senado em Alagoas terão menos de sete segundos para falar no guia eleitoral.

Levando em conta os critérios da resolução do TSE, o blog fez uma projeção de quanto tempo terá cada candidato.

A soma inclui os dois tempos – igualitário e proporcional ( que é calculado com base na composição original da atual Câmara dos Deputados, a que saiu das urnas em 2014).

A chapa liderada por Josan Leite (PSL), terá 17 segundos para o governo. Para o Senado o tempo é de 13 segundos por programa. Como são 2 candidatos (Flávio Moreno, PSL e Sérgio Cabral, Patriotas), cada um terá direito a 6 segundos e meio.

O candidato do PSOL ao governo, Basile Christopoulos, terá 19 segundos. Já os dois candidatos ao Senado (Osvaldo Maciel, PCB e Cícero Albuquerque, PSOL) vão dividir 15 segundos. Ou seja, cada um terá 7 segundos e meio.

O candidato do PTC ao governo, Fernando Collor, deve ficar com 3 minutos e 34 segundos. Os dois candidatos ao Senado da sua chapa, Benedito de Lira (PP) e Rodrigo Cunha (PSDB), vão poder falar bem mais do que os outros candidatos citados até agora. Vão dividir 2,47 segundos, ficando cada um com cerca de 1 minuto e 23 segundos.

O candidato do MDB, Renan Filho terá 4 minutos e 49 segundos. Os candidatos ao Senado de sua chapa, Renan Calheiros (MDB) e Maurício Quintella (PR) terão os maiores tempos no guia eleitoral. Vão dividir 3 minutos e 45 segundos, ficando cada um com cerca de 1 minuto e 52 segundos.

Como funciona o guia eleitoral

Este ano, como já adiantei aqui, o guia eleitoral terá início em 31 de agosto e término no dia 4 de outubro. Será uma campanha curta, de apenas 35 dias. Com ou sem redes sociais, é voz corrente que quem conseguir utilizar melhor o tempo no rádio e TV terá uma grande vantagem nas eleições deste ano.

Na campanha majoritária, por conta das regras, a distribuição de tempo entre os candidatos é desproporcional.

Além das inserções (comerciais) os candidatos a governador poderão exibir três programas semanais (segundas, quartas e sextas), sendo 9 minutos a tarde e 9 minutos a noite. Também nesses dias, os candidatos a deputado estadual terão 9 minutos e a senador 7 minutos para apresentar suas propostas em cada horário.

Candidatos a presidente e a deputado federal dividem 25 minutos às terças, quintas e sábados, nos dois horários.

Em Alagoas, quatro candidatos vão dividir o tempo no guia eleitoral para o governo. Para o Senado, são 7 minutos para 8 candidatos. Ou seja, candidato a governador aparecerá quase três vezes mais que candidato a senador.

A divisão é feita da seguinte forma: 10% igualitariamente e 90% de acordo com a representação partidária na Câmara dos Deputados, valendo para a contagem na majoritária apenas o tempo dos 6 maiores partidos de cada coligação.

Inserções

Além dos dois blocos de 25 minutos diários (segunda a sexta) de propaganda eleitoral, os partidos também tem direito as inserções diárias na programação, que somam 70 minutos no total. Mas, essa é outra história.