“Falta” dinheiro no bolso de candidatos e “sobram” votos em Alagoas
   13 de setembro de 2018   │     21:48  │  0

Vários blogs e sites estão repercutindo o que você viu primeiro aqui: o voto está sendo negociado em Alagoas R$ 100. A tabela vale tanto para deputado estadual, quanto para deputado federal.

Em outros números, o voto “casado” sai por R$ 200, certo?

Não é só isso. Alguns intermediários também ficam com a sua parte. O preço final do voto vai depender da negociação. Nas menores cidades, é mais caro. Em cidades maiores, pode até ser mais barato, mas o risco é maior.

Na periferia de Maceió, por exemplo, tem pessoas que colocam o nome em quatro ou cinco listas, mas só poderá entregar no máximo um voto.

Independente de como funciona, o sistema de cadastro eleitoral está enfrentando problemas nas eleições deste ano. A “novidade”, agora, é que este negócio está desaquecido.

Sem dinheiro suficiente para honrar todos os compromissos, tem candidato que já começou a cancelar algumas “compras”.

Anote aí. Vai boiar voto proporcional em Alagoas. “Tem candidato que já parou de comprar votos porque atingiu o suficiente para se eleger, enquanto outros não tem como pagar o que já acertou. Pelo meus cálculos, temos uma sobra de 300 mil a 400 mil votos para federal em Alagoas”, revela um conhecido analista político.

Para onde vão estes votos? Na última hora vai ter eleitor tentando ganhar qualquer coisa para entregar o voto. Em último caso, a tendência é que esse tipo de eleitor anule o voto ou dê um voto de protesto. Quem cair na graças dessa turma terá uma boa chance de herdar uma votação que certamente iria para os mais endinheirados.