Renan Filho: “segundo governo já começou”; reforma política também
   10 de outubro de 2018   │     4:10  │  0

O governador Renan Filho (MDB), reeleito no domingo, 7, avisa que o segundo governo já começou. Hospitais, UPAs, estradas. A prioridade será a entrega de obras em andamento.

Não é só. Também está em andamento uma reforma administrativa que deve ser anunciada logo após o segundo turno da eleição presidencial.

Em entrevista à TV Gazeta, nessa terça-feira a noite, Renan Filho adiantou que já está pensando na nova equipe a partir do resultado das urnas.

“Certamente com o novo governo haverá mudanças, né, o governo tem que estar sempre aberto ao que falam as ruas, as urnas também. Eu vou aproveitar esse intervalo entre o primeiro e o segundo turno para fazer uma leitura geral, dar uma olhada e me aprofundar um pouquinho mais na parte administrativa do governo para fazer um redesenho para o segundo mandato e a partir daí começar pensar em nomes e fazer um governo que siga próximo do cidadão”, disse o governo ao jornalista Amorim Neto, da TV Gazeta.

Na sua primeira entrevista após ser reeleito governador de Alagoas no 1º turno, Renan Filho disse ainda que que pretende, até o fim do ano, inaugurar obras que ficaram prontas durante o processo eleitoral e também dar início a outras.

“Nosso novo governo não começa no dia 1º de janeiro, ele já começou. E a primeira prioridade é concluir as obras que estão em andamento. Vamos inaugurar os novos Cisps [Centros Integrados de Segurança Pública], rodovias, escolas, ginásios e outras obras próximas de finalizar, como o Hospital da Mulher, as UPAs [Unidades de Pronto Atendimento] da capital, novas unidades do Vida Nova das Grotas e a primeira etapa da duplicação da AL-101 Norte, que não pudemos inaugurar por conta da legislação eleitoral”, afirmou.

Sobre infraestrutura, ele afirma que tem feito investimentos em diversos projetos. “Em Alagoas, temos feito vários investimentos em estrutura. Aeroporto melhor, estradas melhores, esgotamento, levando água para quem precisa”.

O incentivo à indústria para a geração de empregos também foi destacado pelo governador reeleito.

“Estamos lutando bastante. Fizemos várias obras de incentivo fiscal para várias indústrias. Isso melhora o emprego e prepara o estado para quando o Brasil sair da crise financeira”, apontou.

Renan Filho ainda reafirmou uma outra promessa de campanha, a de que serão realizados concursos públicos anuais para áreas como segurança pública e educação.

“Concursos anuais para polícia e professores. Isso garante o acesso e oxigena os quadros, além de não deixar as gerações muito distantes. Faremos também concurso para a saúde pública e Polícia Civil. Priorizei no meu primeiro mandato a convocação da reserva técnica da Perícia Oficial, algo que não era feito antes. Reforçando a polícia, estaremos complicando a vida dos bandidos”, avaliou.

Traduzindo

Renan Filho deve manter algumas peças importantes na sua gestão. Principalmente quem ocupa cargos técnicos. Para quem ocupa cargos políticos, será ouvida a “voz” das urnas.

Nesse campo, a formação do “novo” governo será ditada pela nova bancada federal. Marx Beltrão (PSD), o mais votado da coligação, com quase 140 mil votos, deve ter um espaço maior do que tem hoje com a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Nivaldo Albuquerque (PTB) tem a Secretaria do Trabalho. Pode manter a Pasta ou “escolher” outra. Mesma situação de Paulão (PT), que tem a Secretaria da Mulher.

Eleitos para a Câmara Federal, os deputados Isnaldo Bulhões (MDB) e Sérgio Toledo (PR) também devem indicar nomes para o primeiro escalão.

Resta saber qual o espaço o governador dará para Ronaldo Lessa (PDT) e Carimbão (Avante) que ficaram na primeira e segunda suplência, dois importantes quadros que não devem ser descartados.