Qual o tamanho da reforma que Renan Filho fará no novo governo?
   8 de novembro de 2018   │     23:46  │  0

  1. O governador Renan Filho ainda não definiu a escalação do time para o novo governo que começa em primeiro de janeiro. Até agora, o que se tem é muita especulação.

Mas o que já se sabe, com certeza, é que o número de secretarias será menor na nova gestão governo.

“Haverá redução. Mas essa decisão também não será tomada agora. O objetivo é preparar Alagoas para o novo momento nacional”, aponta um interlocutor palaciano.

Quem conhece Renan Filho sabe que ele prefere trabalhar a estrutura do Estado, tanto quanto possível, alinhada com a estrutura política e administrativa do governo federal.

Assim, a extinção do Ministério do Trabalho pode resultar em medida similar por aqui.

Atualmente existem 27 ministérios ou órgãos equivalentes (casos da AGU e Bnco Central). O presidente eleito, Jair Bolsonaro já sinalizou que pretende reduzir para 17.

Na estrutura do governo de Alagoas existem atualmente 22 secretarias ou órgãos com status equivalente (CGU e PGE, por exemplo). O que se espera é uma redução para algo entre 14 e 16 pastas.

Não é só. Órgãos de segundo escalão, a exemplo de autarquias, fundações e empresas, devem ganhar uma estrutura mais leve e passarão a atuar com maior independência. Nesta área, o governador também deve “enxugar” a máquina onde for possível.

O que o governador busca não é só cortar custos. O objetivo é remodelar a estrutura para dar respostas mais rápidas e mais eficazes para o cidadão. Fazer mais com menos, ser mais produtivo. Essa deve ser a tônica do novo governo.

Largada

A principal definição do futuro governo será em torno do Gabinete Civil. Escolhido o nome, devem ser definidos na sequência os nomes dos secretários da Fazenda, Saúde e Educação, considerados cargos técnicos e da cota do governador. Por enquanto, avisa Renan Filho, “ainda não pensei sobre essas coisas”.