Incentivo para setor sucroalcooleiro de AL será analisado no próximo dia 23
   12 de novembro de 2018   │     21:21  │  0

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, convocou para o próximo dia 23 a reunião extraordinária do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social do Estado. Em pauta, a avaliação do termo de adesão das usinas ao novo programa de incentivos, baseado na equalização tributária do setor sucroenergético com Pernambuco.

Apesar de já publicada, a Instrução Normativa que concede o benefício para as indústrias sucroenergéticas de Alagoas, não tem aplicação imediata. Para ter direito à redução da carga tributária, as empresas devem apresentar um projeto com metas de crescimento da produção e geração de empregos.

Retomar a produção, reabrir indústrias fechadas (foram oito desativadas no estado somente nos últimos seis anos) e recuperar mais de 50 mil empregos são alguns dos objetivos de um programa de incentivos que é baseado na equalização da carga tributária.

“O que esperamos ao equiparar a tributação dos impostos em Alagoas com Pernambuco e outros estados produtores do Nordeste é retomar nossa participação no mercado interno, ampliando a comercialização de açúcar e etanol entre a Bahia e o Pará. Com isso, as indústrias não ficarão dependentes apenas das exportações. O que se espera, a partir dessa nova política, é fortalecer a competitividade e consequentemente a retomada da produção e a geração de novos empregos”, aponta o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira.

Os projetos foram entregues pelo presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira, a Rafael Brito no último dia, 5, em reunião na Sedetur. O secretário promete celeridade na avaliação. “Os processos serão analisados no menor espaço de tempo possível. Com as usinas estão em plena moagem, nosso objetivo é analisar todos os pedidos de adesão ao novo modelo o quanto antes, para que entrem em vigor se possível ainda este mês”, aponta Rafael Brito.

De acordo com Rafael, a inclusão das indústrias no novo programa passa por um esforço não só da Sedetur, mas também da Secretaria da Fazenda: “o secretário George Santoro desde o início defendeu e ajudou a viabilizar esse novo modelo que, esperamos, vai ajudar na retomada da produção do setor em Alagoas. Acreditamos que a partir da redução da carga tributária, o setor voltará a crescer em Alagoas, movimentando a economia e retomando a geração de empregos. O que esperamos, a partir do aumento da atividade é também resgatar os empregos que foram perdidos por conta da crise”, aponta.

Saiba mais:

Incentivo para setor sucroenergético deve, enfim, sair em Alagoas

http://edivaldojunior.blogsdagazetaweb.com/2018/11/05/incentivo-para-setor-sucroenergetico-deve-enfim-sair-em-alagoas/