Mais um sintoma da crise no setor: açúcar em AL está mais barato que em SP
   4 de dezembro de 2018   │     20:11  │  0

Não é um tema que costume tratar aqui. Normalmente reservo informações e dados do tipo “preço do açúcar” para a coluna Mercado Alagoas.

O dado, no entanto, merece destaque pela inversão – literalmente – de valores. Tradicionalmente o preço do açúcar em Alagoas e no Nordeste é o de São Paulo mais o frete, hoje em cerca de R$ 20 por saco de 50 kg.

Desde o início da safra 2018/2019 por aqui, em setembro deste ano, o preço do açúcar de Alagoas está mais baixo do que o de São Paulo.

Nos últimos três meses, o valor médio do saco no mercado alagoano ficou em R$ 64, enquanto no mercado paulista o mesmo produto tem sido cotado em média a R$ 69.

Os números são oficiais, obtidos a partir de levantamento do Cepea/Esalq que faz o monitoramento diário do mercado paulista e semanalmente no Nordeste.

Quem entende do setor atribuiu a baixa no preço do açúcar alagoano a dificuldade de caixa de algumas empresas. Seria mais um sintoma da crise que as usinas enfrentam, até porque o único Estado do Nordeste autossuficiente em açúcar é Alagoas.

Em outras palavras, ou números, o açúcar cristal deveria ser comercializado por aqui acima dos R$ 80, até porque a maior parte do produto alagoano é do tipo VHP, que vai para exportação.

A mudança no sistema de tributação, que criou um novo teto de crédito presumido para as indústrias do setor sucroenergético, podem ajudar a tornar o açúcar alagoano mais competitivo. Mas sem acesso a crédito, algumas usinas ao que parece terão dificuldades de comercializar minimamente a preços razoáveis sua produção.