É grave a crise: produtores de leite de Alagoas estão perdendo R$ 0,30 por litro
   7 de janeiro de 2019   │     20:14  │  0

O custo de produção de um litro de leite para o produtor rural de Alagoas está variando atualmente entre R$ 1,10 e R$ 1,30, dependo da condição do produtor.

Hoje, no entanto, o valor máximo que estão conseguindo receber é R$ 1. O prejuízo para a maioria dos produtores chega a R$ 0,30 por litro.

“Tem produtores, principalmente os menores ou os que estão em áreas mais afastadas, que só recebem 80 ou 90 centavos”, revela o produtor João Tenório Rodrigues, conhecido como Joãozinho Douca, de Batalha.

A queda no preço, segundo Joãozinho, não tem explicação: “a gente não sabe o que está havendo de fato. Suspeitamos que as empresa que compra o leite de Alagoas – instaladas em Sergipe e Pernambuco – estão importando o produto de outros países, via Mercosul, prejudicando toda a cadeia produtiva”, aponta.

Um empresário do setor de laticínios de Alagoas, no entanto, avalia que o problema pode ser outro: “o governo de Alagoas deu incentivo com uma mão e tirou com a outra. Atualmente as grandes distribuidoras e atacadistas do Estado tem mais incentivo para vender o produto que vem de outros estados. Somente uma distribuidora de Maceió deixou de comprar mais de 3 mil kg de mussarela por semana a indústrias de Alagoas, para trazer o produto de fora”, explica.

Outro problema, segundo um produtor da região de Major Isidoro, é que a nova política fiscal estabelecida pelo governo do Estado, penaliza a saída de leite in natura: “o leite que vai para Sergipe ou Pernambuco paga 7% de ICMS. Com isso, nosso leite se torna menos competitivo. É por isso que está sobrando leite na nossa bacia leiteira”, afirma.

Em plena crise, o programa do leite, mantido pelo governo federal e pelo Estado, continua pagando R$ 1,28 por litro aos agricultores familiares de Alagoas.

O valor ajuda a enxugar o mercado em momentos como esse. O problema é que o pagamento aos produtores está atrasado desde outubro. Segundo fontes da Secretaria da Agricultura do Estado, o atraso no pagamento se deu em função de problemas orçamentários.

Com o atraso, muitos produtores já começaram a deixar o programa – o que contribui para agravar a crise.

Um produtores está tentando contato com a Seagri e com o governador Renan Filho, em busca de ajuda para superar a crise: “se o governo não agir logo, a situação vai se agravar muito nos próximos dias”, alerta o presidente de uma associação de agricultores familiares da região da bacia leiteira.