Novo presidente da Adeal avisa que vai trabalhar ao lado do produtor rural
   10 de janeiro de 2019   │     22:13  │  0

Carlos Alberto Pinheiro de Mendonça Neto assumiu nessa quinta-feira, 10, a presidência da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Estado de Alagoas (Adeal). O jovem advogado, de 24 anos, carrega a tradição da família no mundo jurídico e na política institucional.

É neto do advogado Carlos Mendonça do presidente do Instituto Arnom de Mello, muito respeitado no mundo jurídico e que já ocupou importantes posições no Poder Executivo de Alagoas e filho do Procurador Geral de Justiça, Alfredo Gaspar, que ganhou popularidade após uma passagem pela Secretaria de Segurança Pública de Alagoas.

Com o pai e o avô, Carlos divide também o gosto pelo setor rural. Pecuarista e agricultor, ele faz cria, recria e engorda e também gosta de plantar, principalmente milho.

Carlos Neto avisa que aceitou o convite do governador Renan Filho para assumir a presidência da Adeal porque acredita que poderá contribuir com o desenvolvimento do setor produtivo rural de Alagoas.

“O objetivo é fazer um trabalho técnico, dentro do que rege a legislação, mas sempre enxergando o produtor rural como um parceiro do desenvolvimento. Vamos fiscalizar, mas antes disso orientar”, aponta.

A primeira missão à frente da Adeal, adianta o novo presidente, é conhecer a casa. “Vou conversar com os técnicos e acompanhar as fiscalizações, para me inteirar de tudo e contribuir para que a Adeal exerça plenamente suas funções, mas sempre tendo a visão, como orientou o governador, de que nosso objetivo é fortalecer a atividade e o produtor rural, dentro do que prevê a legislação”, pondera.

O próprio Renan Filho adiantou, em reunião com os gestores da Adeal no Palácio dos Palmares, no final do ano passado, que pretende modernizar a legislação do órgão e contribuir para apresentar soluções inteligentes para questões como o abate de animais.

Após um período de fechamento de matadouros em cidades do interior, o governador tem orientado os seus auxiliares a buscar alternativas para garantir o abate dentro das condições sanitárias exigidas pela legislação. Para isso, o governo deve concluir a construção e licitar o matadouro de Viçosa, além de assegurar a construção de pelo menos mais três matadouros no interior, sendo um na região norte do Estado e os outros dois no sertão e no alto sertão de Alagoas.

A nova política para o setor deve ser anunciada nos próximos dias. A nomeação de Carlos Neto aponta uma nova fase na Adeal. Apesar das especulações de que pretende disputar a prefeitura de Quebrangulo em 2020, o novo presidente da Agência de Defesa Agropecuária assegura que sua missão será estritamente técnica. “O órgão é técnico e assim será nossa atuação”, afirma.

 

Carlos Neto, ao centro, durante reunião com o diretor técnico da Adeal, Ironaldo Monteiro e o governador Renan Filho, no Palácio dos Palmares

Posse

O governador Renan Filho registrou, em sua conta no Twitter, a primeira reunião na noite desta quinta-feira, que marcou simbolicamente a posse no cargo, com o novo pre da Adeal.

“Agora há pouco, me reuni com o novo diretor-presidente da Adeal, Carlos Alberto Pinheiro de Mendonça Neto, o secretário executivo do Gabinete Civil, Alexandre Ayres e o assessor executivo da Adeal, Ironaldo Monteiro, para tratar sobre as demandas do setor agropecuário. Vamos continuar trabalhando para crescer ainda mais. Desejo sorte ao amigo, Carlos Gaspar e vamos juntos!”, disse Renan Filho.

Carlos Neto