Crise do leite: Sefaz reúne distribuidores, indústrias e produtores em busca de saídas
   15 de janeiro de 2019   │     15:34  │  0

A iniciativa foi do secretário da Fazenda. George Santoro convocou os secretários da Agricultura, Henrique Soares e da Sedetur, Rafael Brito, para um encontro “olho no olho”. Represantes dos produtores, das indústrias de laticínio e dos distribuidores de Alagoas discutiram a crise que está afetando duramente a cadeia produtiva do leite em Alagoas.

Atualmente, o custo de produção de um litro de leite para o produtor rural de Alagoas está variando atualmente entre R$ 1,10 e R$ 1,30. Hoje, no entanto, o valor máximo que estão conseguindo receber é R$ 1. O prejuízo para a maioria dos produtores chega a R$ 0,30 por litro.

A crise, apesar de fatores sazonais (supersafra no centro sul e queda no consumo), é a maior registrada nos últimos anos.

“Nunca vi preço de leite tão baixo para o produtor”, registrou no encontro o presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínios de Alagoas, Arthur Vasconcelos.

No caso de Alagoas, a situação é mais grave, na avaliação dos produtores e das indústrias locais pela “invasão” de produtos de outros Estados.

Segundo relato de empresários, em períodos como esse, indústrias de outros Estados “desovam” produtos nas gôndolas dos supermercados de Alagoas, para proteger seus próprios mercados.

O incentivo fiscal aos distribuidores e atacadistas, a falta de pauta de preço atualizada e de barreiras fiscais foram apontados como falhas que prejudicam a cadeia produtiva do leite de Alagoas.

Depois de ouvir as partes, o secretário George Santoro determinou a atualização da pauta fiscal, mais rigor nas barreiras e convocou uma próxima reunião, dentro de quinze dias, desta vez com a participação dos representantes de supermercados.

“Precisamos entender melhor essa questão. Fomos informados de que os produtos alagoanos estão sem espaço nos supermercados locais. A legislação criada pelo governo, de incentivo ao setor, aponta numa direção contrária. Nosso objetivo é tentar entender melhor essa realidade e criar mecanismos que privilegiem o produtor local”, aponta Santoro.

 

O secretário da Fazenda, George Santoro, reúne produtores, indústrias e atacadistas em buscas de saídas para a crise que atinge a cadeia produtiva do leite em Alagoas

Veja texto pela assessoria sobre o evento

Entidades e governo debatem saídas para a crise do leite em Alagoas

Dirigentes de entidades que representam o setor agropecuário alagoano, em especial o segmento do leite, participaram, na tarde desta segunda-feira, 14, de uma reunião com o secretário da Fazenda, George Santoro. Na pauta do encontro, realizado na sede da Sefaz, a crise do leite no Estado.

O encontro contou com a presença de André Ramalho, presidente do Sindicato Rural dos Produtores de Leite de Alagoas (Sindileite/AL); presidente do Sindicato das Indústrias de Laticínios de Alagoas (Sileal), Arthur Vasconcelos; Domício Silva, presidente da Associação dos Criadores de Alagoas (ACA); presidente da Cooperativa da Produção Leiteira de Alagoas (CPLA), Aldemar Monteiro e do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária no Estado de Alagoas (Faeal), Álvaro Almeida, além dos secretários de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Econômico, respectivamente, Henrique Soares e Rafael Brito e os dirigentes da Associação do Comércio Atacadista e Distribuidor do Estado de Alagoas (Acadeal).

Na oportunidade, os dirigentes – que representam o segmento leiteiro – pediram mecanismos para proteger os produtos fabricados no Estado, tornando-os competitivos no mercado local, alegando que existe atualmente um desequilíbrio com os produtos procedentes de outros Estados nas gôndolas dos supermercados.

De acordo com as entidades, apesar da crise, Alagoas é um Estado exportador de leite ‘in natura’, que comercializa cerca de 200 mil litros/dia para Pernambuco e Sergipe, assim como, produtos acabados que abastecem outros Estados consumidores.

A demanda apresentada pelas entidades foi recebida pelos secretários que se comprometeram em discutir o assunto com mais detalhes técnicos na próxima reunião dos representantes da Câmara Setorial do Leite prevista para ocorrer nas próximas semanas e que é coordenada pela pasta da agricultura com o objetivo de encontrar uma saída que possa amenizar a crise que afeta o setor leiteiro alagoano.