Privatização da Casal: quando governo e oposição falam a mesma língua
   27 de março de 2019   │     16:49  │  9

Uma das principais vozes da oposição ao governo de Renan Filho (MDB), o deputado estadual Davi Maia (DEM) tem sido em sua atuação no plenário da Assembleia Legislativa de Alagoas.

O parlamentar foi, por exemplo, o autor da emenda vetada pelo Executivo que impedia o desconto previdenciário no pagamento do rateio do Fundeb. O veto dessa emenda está agora trancando a pauta no Legislativo – literalmente.

Mas nem sempre Maia será voz discordante ao governo no parlamento. “Se eu concordar com a iniciativa, se o projeto for bom, contará com meu apoio”, adianta.

Um desses projetos o Executivo que pode chegar à Assembleia Legislativa e que certamente contará com o apoio do deputado é a privatização da Casal – a Companhia de Saneamento de Alagoas.

“Foi uma das minhas bandeiras de campanha. Quem paga pela ineficiência da Casal é o consumidor. Temos hoje a terceira maior tarifa do país, quando a qualidade do serviço oferecido pela companhia está entre os últimos em todo o Brasil”, aponta.

O parlamentar diz que teve acesso a um estudo do BNES que recomenda ao governo de Alagoas a privatização “parcial” da Casal: “a proposta é privatizar a distribuição. A Casal passaria a funcionar como fornecedora de água, no modelo do sistema elétrico. Um exemplo é a Chesf, que gerava energia e a distribuição era feita pela Ceal”, aponta.

A privatização, avalia Davi, pode abrir caminho para novos investimentos. “Em Alagoas, ainda hoje, 30% da população não tem acesso a água potável e 60% não tem serviço de saneamento. Para universalizar os serviços da Casal são necessários investimentos da ordem de R$ 6 bilhões, que poderão ser feitos de forma mais ágil e eficiente pela iniciativa privada”, pondera.

A Casal, segundo Davi, tem dívidas que tornam a companhia inviável: “só em débitos de energia são mais de R$ 600 milhões. O melhor caminho é a privatização”, aponta.

E pelo menos nesse projeto – se ele chegar ao parlamento – o deputado avisa que falará a mesma linguagem do Palácio dos Palmares: “se o governo quiser eu até serei relator do projeto, recomendando sua aprovação”, afirma.

Tem mais

Não é só Casal. Davi prepara com sua equipe uma lista de equipamentos públicos que poderiam ser privatizados ou terceirizados. “Tem órgão que mais parece cabide de empregos”, resume.

Na lista, devem entrar além da Casal, Ceasa, Centro de Convenções, Desenvolve, Alagoas Ativo, Ipaseal Saúde, estádio Rei Pelé, Cepal, Algás e Lifal.

“Quando foi que o Lifal produziu o último frasco de remédio? Quanto o Estado gasta para manter uma gráfica oficial? Não seria mais barato e eficiente passar esse serviço para a iniciativa privada?”, questiona o deputado. Quem tem a resposta?

COMENTÁRIOS
9

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. joseedvanio

    primeiro de tudo que a Casal não presta um péssimo serviço como esse deputado citou ele fala isso porque teve sua campanha financiada por empresas que tem interesses em tomar conta da casal pra aumentar a taxa de água que ele fala que é a terceira maior do Brasil isso é mentira a taxa de água e de menos de 47 reais. quanto a Casal pode melhorar ao da mais com investimentos do governo do estado plr meio do próprio BNDES água e vida não pode ser tido como negócio

  2. amorim

    Que boa notícia a privatização da Casal !!! Já está por demais comprovada a necessidade da privatização. Abaixo a estatização da economia, simbolo dos fracassados regime socialista/comunista/nazista/fascista e simpatizantes.

  3. Casaliano

    Senhor Guilherme, se o Estado têm que cuidar de Educação, Saúde e Segurança, vale frisar que água é Saúde e têm que ser um bem público! Outra coisa : A CASAL não gera custos para a máquina pública, pelo contrário, a CASAL têm renda própria e não depende totalmente do governo e desde que bem administrada, têm capacidade para se manter! Pode até não prestar um ótimo serviço, mas, procura sempre prestar um bom serviço! Agora alguém afirmar que a CASAL presta um péssimo serviço é um grande exagero! Tu sabias que têm comunidades em que a CASAL devido o pessoal ser de baixa renda, cobra uma tarifa social! Tu achas que privatizando, a futura empresa vai continuar cobrando essa tarifa social? Tu só vai poder fazer o comparativo após o momento em que a CASAL for privatizada e aí, infelizmente, milhares de alagoanos são quem vão sofrer as consequências!

  4. Guilherme

    Waldemar e Diego, mostrem então a tal eficiência dos órgãos citados? Não vejo necessidade alguma do estado ser dono de campo de futebol, ter gráfica, Centro de Convenções dentre outros. A CASAL deve ser privatizada sim, pois ficou mais do que comprovado que presta um péssimo serviço, isso sem falar nos custos para a máquina pública.

    Não falou nenhuma mentira o deputado.

    Estado tem que cuidar de Educação, saúde, segurança, emprego e outras questões fundamentais.

  5. Casaliano

    O governo vai se arrepender bastante a partir do dia em que caso seja concretizada a privatização da CASAL! Só sabe o papel importante que a CASAL desempenha para a população de um modo geral é quem têm conhecimento e experiência adquirida nesses 33 anos de serviços prestados a esta Companhia! Não se enganem não, o setor privado só visa o lucro e aí, pobres das comunidades carentes que hoje só recebem água graças ao Serviço Social que a Empresa realiza! Têm locais no Interior do Estado que o que a CASAL arrecada, não dar para pagar nem a folha de pagamento dos funcionários locais, quanto mais pagar o funcionamento administrativo, operacional e manutenção dos sistemas! E está totalmente enganado, quem pensa que manter e operar sistemas de abastecimento d´água e esgotamento sanitário é simples e barato! Como a CASAL desempenha um papel humanitário e social, consegue com o esforço e a união de todos, senão realizar um trabalho 100% (cem por cento), pelo menos procura oferecer um serviço de boa qualidade, sem explorar financeiramente a população! Têm um antigo ditado o qual, eu vou parodiar : “se está regular com ela, vai ficar péssimo sem ela”! Podem anotar!

  6. Waldemar roberto

    Sempre fui contra as privatizações até aqui não vi benefício nenhum veja as ferrovias aqui no Nordeste desativadas pelo inciativa privada que só visa lucros e investimento zero .

  7. Diego

    Davi Maia segue totalmente enganado e tendencioso: enquanto grandes cidades do mundo, como Paris, na França, estão reestatizando o saneamento justamente porque foi um fracasso nas mãos da iniciativa privada, ele quer levar esse serviço em Alagoas para as mãos da iniciativa privada que, quando não tiver mais o que sugar, vai devolver ao Estado. No final, quem vai pagar essa conta? A população. Só digo uma coisa: se privatizar, a conta vai aumentar. Vejam o que está acontecendo com a Eletrobras, agora Equatorial… o serviço piorou e a conta vai aumentar.

Comments are closed.