Oposição e independentes dominam a mais importante comissão da ALE de AL
   25 de abril de 2019   │     8:31  │  0

Após as votações dos vetos governamentais, encerradas na semana passada, a prioridade do momento na Assembleia Legislativa de Alagoas é a formação das comissões permanentes da Casa.

A principal disputa se dá para conseguir uma das sete vagas da Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante do Legislativo (depois da primeira comissão, que é a Mesa Diretora). Por lá passam todos os projetos.

Ter maioria na CCJ pode definir o jogo antes mesmo que a “bola” entre em campo. Um projeto de lei pode “dormir” indefinidamente ou ser rejeitado na CCJ, o que praticamente elimina suas chances de chegar ao plenário.

Nos últimos dias a disputa pelas vagas na CCJ foi intensa. Por acordo, os sete membros foram definidos após várias reuniões durante esta semana – confirmando compromissos firmados anteriormente com a Mesa Diretora – e seus nomes deverão ser publicados no Diário Oficial da ALE.

Se o “palpite” estiver correto, os nomes que irão compor a CCJ serão de dois oposicionistas, quatro “independentes” (alguns com viés de oposição) e um governista.

De acordo com o que apurei, terão assento na CCJ os deputados (em ordem alfabética) Antônio Albuquerque (PTB), Bruno Toledo (PROS), Cibele Moura (PSDB), Davi Maia, Francisco Tenório (PMN), Galba Novais (MDB) e Jó Pereira (MDB). O primeiro ato da instalação da CCJ, após sua instalação, será a eleição do presidente. Devem concorrer ao posto, desta lista dois deputados que estão no segundo mandato consecutivo.