Governo deve atuar para evitar crise no setor leiteiro de AL, diz deputado
   6 de maio de 2019   │     19:51  │  0

Marcado por amenidades e “traduzido” como um encontro “social”, o almoço oferecido pelo governador Renan Filho, no Palácio dos Palmares, para os deputados estaduais na sexta-feira, 3,abriu espaço para a apresentação de demandas pontuais do setor leiteiro de Alagoas ao governo.

O deputado estadual Paulo Dantas (MDB), 1o secretário da Assembleia Legislativa de Alagoas, aproveitou o encontro para apresentar ao governador Renan Filho algumas reivindicações do setor.

“Recebemos os produtores na quinta-feira, numa reunião na Assembleia Legislativa. Eles estão preocupados com uma sobretaxa no ICMS de 6% que passou a ser cobrada pelo governo de Pernambuco. Essa medida agrava a crise que vem sendo enfrentada pela cadeia produtiva do leite em Alagoas”, aponta Paulo Dantas.

De acordo com os produtores, Alagoas comercializa cerca de 120 mil litros de leite por dia para a Lactalis, que tem uma indústria sediada em Bom Conselho, Pernambuco.

O temor dos produtores é a empresa reduza a compra do produto alagoano, em função da sobretaxa. “Isso prejudicial para nós, porque não temos para onde fornecer esse excedente”, diz o presidente O presidente da Câmara Setorial do Leite, André Ramalho.

Além desta questão, Paulo Dantas também pediu ao governador a atualização dos pagamentos e a manutenção do programa do leite em Alagoas. “O setor vive uma crise que também é agravada por atrasos nestes pagamentos. O governador ficou de colocar tudo em dia. No caso da sobretaxa, Renan Filho vai entrar em contato com o governo de Pernambuco para ver o que pode ser feito, além de acionar o secretário da Fazenda, George Santoro, para estudar medidas que protejam o setor em Alagoas”, pondera.

Sobre a Lactalis

Lactalis é uma multinacional francesa de produtos lácteos, de propriedade da família Besnier. A sede da empresa localiza-se em Laval, Mayenne. É o maior grupo de laticínios do mundo, e é o segundo maior grupo de produtos alimentícios na França.

A companhia é dona das marcas Itambé, Sorrento, Société, Bridel, Président, Rachel’s Organic, Parmalat, Valmont, Êlege e Batavo.

A Lactalis possui 100 fábricas no mundo. Com a aquisição dos ativos da BRF, a empresa passou a ter 17 fábricas no Brasil.

Deputado Paulo Dantas participa de reunião com produtores de leite na Assembleia Legislativa de Alagoas

Versão oficial

A assessoria de comunicação da ALE/AL registrou o encontro dos deputados com os produtores de leite. Veja:

Produtores da Bacia Leiteira buscam apoio do Parlamento para evitar sobretaxa de Pernambuco

Em reunião realizada na tarde desta quinta-feira, 2, deputados estaduais e produtores de leite do Estado discutiram demandas da Bacia Leiteira de Alagoas. Na pauta, uma ação emergencial para que Alagoas não perca seu principal comprador de leite in natura, a Lactalis, que está situada na cidade de Bom Conselho/PE.

Isto porque, o governo de Pernambuco está cobrando uma taxa extra de 6% na alíquota do ICMS para os fabricantes que comprarem o leite de outros estados. A empresa desde 2011 compra 120 mil litros de leite dos produtores de alagoanos e apenas 60 mil litros da produção pernambucana. A preocupação é que, com a sobretaxa, a grave a crise que já atinge o setor do leiteiro seja aprofundada.

Após ouvir o apelo dos produtores, a Comissão de Agricultura da Casa, presidida pelo deputado Yvan Beltrão (PSD), decidiu que irá intermediar uma reunião entre o Governo do Estado e representantes da Bacia Leiteira de Alagoas para buscar uma solução para a questão. “Todos os deputados estão unidos para ajudar os produtores no que for preciso e vamos levar seus pleitos ao governador Renan Filho. Tenho certeza que o Governo não vai deixar os produtores na mão e vamos conseguir melhorar as condições de trabalho”, observou o deputado.

O presidente da Câmara Setorial do Leite, André Ramalho, que esteve representando a Federação da Agricultura de Alagoas, informou que com a sobretaxa vai haver um excedente na produção de leite e o Estado não tem condições de absorver. “O produtor de Pernambuco entendeu que esse leite, que é comprado pela indústria, está causando problemas. Eles foram ao governo e pediram apoio”, prosseguiu Ramalho, informando que além da cobrança de taxa extra sobre o leite que vai de Alagoas para Pernambuco, os produtores do estado vizinho estão nas tratativas para que a empresa reverta e compre mais produtos em Pernambuco do que em Alagoas. “Isso prejudicial para nós, porque não temos para onde fornecer esse excedente”, destacou.

Os produtores vieram ao Parlamento para solicitar o apoio da Casa no sentido de que seja intermediada uma conversa entre os produtores de leite e os governos de Alagoas e de Pernambuco para encontrar um meio termo. “Somos bacias leiteiras irmãs, que sempre se ajudaram mutuamente”, disse André Ramalho.