O mais grave contra Flavio Bolsonaro é a ‘confiança’ de Onyz , diz Renan
   14 de maio de 2019   │     18:46  │  1

Ao estilo, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) comentou declaração do ministro da Casa Civil. Ônyx Lorenzoni afirmou que a investigação e quebra dos sigilos bancário e fiscal do senador Flávio Bolsonaro não afetam o governo.

O ministro disse ainda que tem “confiança” no senador e filho do presidente Jair Bolsonaro.

No Twitter, Renan disparou: “ Até agora o que existe de mais grave contra o @FlavioBolsonaro é a declaração de “confiança” de Onyx Lorenzetti. Trata-se de um réu confesso na utilização de caixa 2 e lavagem de dinheiro”.

Saiba mais

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, saiu em defesa nesta terça-feira (14) do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e disse que a quebra do sigilo do filho do presidente Jair Bolsonaro não prejudica a atual gestão.

No final de abril, a Justiça do Rio de Janeiro autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do senador e de seu ex-assessor Fabrício Queiroz. A iniciativa é o primeiro passo judicial no rastro da investigação que apura movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta bancária de Queiroz.

Para o ministro, o episódio “de jeito nenhum” causa danos à imagem do governo Bolsonaro e tem de ser resolvido no âmbito processual, não interferindo na agenda do Executivo no Poder Legislativo.

Veja aqui reportagem da Foha de São Paulo:

Temos confiança no Flávio Bolsonaro, afirma Onyx após quebra de sigilo

 

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Alagoas

    Na véspera do que se desenha como a primeira grande greve do seu governo, com manifestações agendadas para amanhã em universidades e escolas de 26 estados e do Distrito Federal, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) determinou hoje que não haja mais cortes orçamentários no Ministério da Educação. Este presidente, quando aprovar a MALDITA REFORMA DA PREVIDÊNCIA, vai ser considerado o pior da história do Brasil. Não tem moral alguma e o que faz é DESMENTIDO por ministros. E AGORA?

Comments are closed.