Com R$ 322 milhões, ICMS volta a fechar com desempenho “tímido”
   5 de junho de 2019   │     16:39  │  0

A tendência se confirmou, mais uma vez, em maio. Mês após mês, o desempenho do ICMS de Alagoas tem sinalizado para um crescimento tímido, se comparado com anos anteriores.

No mês passado, a receita com o principal tributo estadual chegou a R$ 322,9 milhões com crescimento de 2,52% pelos números que consegui apurar (ainda não consolidados).

O secretário da Fazenda, George Santoro, passou por APP uma prévia um pouco diferente: R$ 323,69 milhões com crescimento de 2,63%. Nada que mude a “tendência”.

Mais uma vez o desempenho ficou abaixo da inflação. Vale lembrar. Em janeiro deste ano foram arrecadados R$ 386 milhões, em crescimento de 3,73%, abaixo da inflação acumulada do ano passado (3,75%).

Em fevereiro, a receita de R$ 343,9 milhões registrou de 1,03% (queda real se comparado com a inflação).

Em março a Secretaria da Fazenda conseguiu o melhor desempenho do ano. Foram arrecadados 332,9 milhões, com variação de 9,73% na comparação com o mesmo mês de 2018.

Em abril, a arrecadação de ICMS chegou a R$ 322,8 milhões, em crescimento nominal de 3,32% em relação ao mesmo mês de 2018 (R$ 312,5 milhões).

O desempenho no mês passado, pela quarta vez no ano, ficou abaixo da inflação. O IPCA acumulado em 12 meses (tendo abril como referência), é de 4,94%.

No acumulado do ano, a receita de ICMS chega a R$ 1,709 bilhão, em alta de 3,97% na comparação com os cinco meses de 2018 quando foram arrecadados R$ 1,644 bilhão.

Avaliação do mês

O secretário da Fazenda, George Santoro, fez mais uma vez a avaliação do desempenho do ICMS. No geral praticamente todos os setores da economia alagoana responderam bem em maio, assim como nos outros meses. Mais uma vez a exceção ficou com dois segmentos que tem grande peso no bolo tributário do Estado – combustíveis e energia.

“Esse mês (maio) foi mais ou menos parecido com o anterior. O setor de combustível com queda de mais de 10% e a energia elétrica teve crescimento igual ao ano passado. Os dois tem peso grande na arrecadação do Estado”, aponta George Santoro.

Os demais setores, avalia o secretário, ficaram todos na média e tiveram crescimento acima da inflação: “foi um desempenho bastante satisfatório. A gente etá com um problema localizado ainda estes dois meses em combustíveis e energia (que a gente empatou). Nos demais, o crescimento foi acima da inflação”, analisa.

Para Santoro, se considerada temperatura da economia no país, o desempenho “está muito bom”, mas “isso reflete um pouquinho o cenário nacional. A maioria dos Estados está tendo arrecadação negativa nos últimos meses. Então a desaceleração da economia está aparecendo um pouco”, pondera.

Nem só de ICMS vive AL

Antes que alguns reclamem de que os números do ICMS podem representar uma “desculpa” para conter gastos, adianto que o desempenho de Alagoas foi bem melhor em outras fontes de receita. Depois publico aqui os números.

Os números do mês de maio de 2019 são provisórios e podem sofrer alterações