Arthur Lira e Isnaldo Bulhões vão para “embate” na reforma da previdência
   7 de junho de 2019   │     23:17  │  6

A questão agora é incluir ou não estados e municípios na proposta de reforma da Previdência que está em tramitação na Câmara dos Deputados.

Dois deputados alagoanos com forte influência no parlamento federal estão travando uma verdadeira queda de braços em torno do tema.

Arthur Lira, líder do PP e um dos principais nomes do Centrão e Isnaldo Bulhões, do MDB, que apesar de “estreante” na Casa é integrante da Mesa Diretora da Câmara e tem influência em várias bancadas.

Para Arthur Lira (veja texto a seguir) a votação da reforma da Previdência “corre risco se o governo insistir em contemplar o funcionalismo dos estados e municípios no texto”.

O deputado alagoano tem ocupado farto espaço na mídia nacional sobre o tema e trabalhou para levar adiante sua tese.

A inclusão de estados e municípios ganhou fôlego, no entanto, pela atuação de Isnaldo Bulhões. Ele costurou uma reunião com a participação de Renan Filho (MDB) e outros governadores com representantes de algumas bancadas na quarta-feira, 5.

Bulhões conseguiu ganhar tempo. O relator da Comissão Especial da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, Samuel Moreira (PSDB-SP) reconhece que a Casa está dividida. E atendendo um apelo de Isnaldo e outros parlamentares deve esperar uma reunião dos governadores programada para a próxima terça-feira, 11, em Brasília antes de sua decisão final. Ele poderá incluir ou não Estados e municípios no texto final.

os deputados federais de Alagoas Isnaldo Bulhões e Arthur Lira divergem sobre participação dos Estados na Reforma da Previdência

Argumentos de um

Para Isnaldo Bulhões, não faz sentido deixar os Estados e municípios fora da reforma no Congresso Nacional. E ele trabalha nesse sentido.

“Enquanto ele (Arthur Lira) defende a exclusão dos estados e municípios, eu defendo unificação”, resume Isnaldo.

“Fizemos a proposta de prorrogar entrega do relatório para que os governadores se manifestem. Na terça a noite os governadores vão se reunir em Brasília”, aponta.

“Acho que é desnecessário deixar fora Estados e municípios. Se está sendo feita uma modificação na Constituição Federal e o grande objetivo é ser uma regra geral, não faz sentido submeter a cada Estado, se a regra já é constitucional”, argumenta. “Avalio que será difícil, através de ordinárias fazer a mesma regra em cada Estado ou município”, completa.

Contrariando a posição de Arthur Lira, Bulhões avalia que a inclusão “não atinge a reforma. Esse pensamento é equivocado. Além disso, o deficit dos Estados e municípios somados somam quase um trilhão (R$ 1 trilhão) em 10 anos, fora o trilhão (R$ 1 trilhão) da União. Para ter o efeito esperado, especialmente na economia, não é interessante deixar de fora Estados e municípios”, aponta o deputado.

A “batalha”, avalia Bulhões, está apenas começando. “Depois da Comissão Especial, teremos o plenário. É lá que a Reforma deverá provocar os debates mais intensos”, aponta.

Argumentos do outro

Arthur Lira falou sobre a questão a Folha de São Paulo. “É um tema espinhoso e árido e que nenhum dos governadores, seja a favor, seja contra, quer tratar. Todos querem resolver [seus problemas] nas costas da Geni do Brasil, que é o Congresso. Emparedamento não dá”, disse Lira à Folha nesta quinta-feira (6).

“Todo mundo quer a reforma e diz que ela é importante, mas desde que comece pela casa do vizinho. Os governadores querem a reforma, mas querem que o vizinho a faça”, disse Lira.

Para o líder do PP, a inclusão dos estados e municípios na reforma coloca uma carga ainda mais pesada sobre a tramitação da proposta. “É prudente que, num Congresso tão dividido, que a gente tire peso da reforma, não o contrário”, disse.

Leia aqui, na íntegra a reportagem da Folha:

Líder diz que insistência do Planalto em contemplar estado ameaça Previdência

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/06/lider-diz-que-insistencia-do-planalto-em-contemplar-servidor-ameaca-previdencia.shtml

Saiba mais:

Relator vê Câmara ‘dividida’ sobre manter estados e municípios na reforma da Previdência

https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/06/05/relator-ve-camara-dividida-sobre-manter-estados-e-municipios-na-reforma-da-previdencia.ghtml

COMENTÁRIOS
6

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. johann Sebastian Bach

    Jair Bolsonaro usou o Twitter neste domingo para dizer que a oposição tenta atrapalhar a aprovação do PLN 4 — projeto de lei que autoriza operações de crédito suplementar.

    “A oposição está trabalhando para inviabilizar o pagamento de beneficiários do Bolsa Família, idosos com deficiência, Plano Safra e PRONAF. Para alcançar seus objetivos vale até prejudicar os mais pobres.”

    A maior satisfação do Partido dos Trabalhadores, não foi ter destruído o País. Hoje, o seu grande objetivo é
    OBSTRUIR a todo custo, a RECONSTRUÇÃO.

    👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🙏

  2. johann Sebastian Bach

    No Brasil, a palavra “pragmatismo” significa “amoralidade”, conduta celebrada como a mais alta qualidade de um governante.
    Não espanta que o rumo geral da política só possa ir em uma de duas direções: a delinquência geral, chamada “liberalismo”, e o monopólio estatal do crime, conhecido como “lei e ordem”.

    É ou não é Divaldo…

    👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🙏

  3. OLIVEIRA

    A Geni do Brasil não tem sido o Congresso Nacional. A Geni do Brasil tem sido o funcionalismo público colocado numa vala comum pelo ardiloso Paulo Tchutchuca e por grande parte da imprensa vendilhona, ambos a serviço dos banqueiros e de um deus chamado mercado financeiro.

  4. Nelson

    Um Parlamento que tem dois Parlamentares desse como fortes influenciadores…..pode tocar fogo nesse Parlamento que ele não serve pra nada, a não ser propagação de tudo que é nocivo a Nação.

  5. Alagoas

    OS DOIS DEPUTADOS ACIMA RELACIONADOS VÃO ENTRAR NA NOVA REFORMA DA PREVIDÊNCIA? NUNCA… POR ESTE MOTIVO ELES VÃO VOTAR E OS TRABALHADORES MAIS POBRES É QUE VÃO SOFRER COM A MALDITA REFORMA DA PREVIDÊNCIA, A FOME E A MISÉRIA VÃO CHEGAR COM FORÇA NAS PEQUENAS CIDADES E MILHÕES DE PAIS DE FAMÍLIA NÃO CONSEGUIRÃO MAIS A APOSENTADORIA. O PRESIDENTE JÁ É APOSENTADO, PAULO GUEDES JÁ É APOSENTADO E OS MAIS POBRES QUE MORRAM DE FOME.

Comments are closed.