Demissão de Levy é “ninharia inquisitória” do governo Bolsonaro, diz senador
   17 de junho de 2019   │     18:22  │  3

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) tem se transformado num dos críticos mais ativos do governo de Jair Bolsonaro (PSL), não só no Senado, mas também nas redes sociais.

Em sua conta no Twitter, a mais ativa da política alagoana nesta rede social, Renan criticou nessa segunda-feira as demissões do presidente do BNDES, Joaquim Levy, e do diretor de Mercado de Capitais do banco, Marcos Barbosa Pinto.

“A demissão de @jlevyoficial e Marcos Barbosa é mais um exercício de ninharia inquisitória do governo @jairbolsonaro… Eis o porquê de ficar cada vez menor”, disse.

Joaquim Levy pediu demissão do cargo ao ministro da Economia, Paulo Guedes nesse domingo, 16. A decisão foi tomada após Bolsonaro ter dito, em entrevistas, que Levy estava com a cabeça a prêmio, entre outros motivos, por ainda não ter atendido a sua determinação de exonerar Marcos Barbosa.

Vaza Jato

Também pelo Twitter, Renan voltou a comentar os vazamentos de diálogos do ex-juiz Sérgio Moro na operação Lava Jato.

Para o senador, a atuação parcial de Moro arranha a imagem de todo o judiciário: Essa polivalência do @SF_Moro (investiga quem quer, coordena acusação, vaza seletivamente, pede nota ao MPF, condena sem prova…) é a falência do sistema judiciário.

Tão obvio que até dispensa o VAR”, afirmou.

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Nelson

    Bolsonaro nunca quiz o Levy no seu Governo…foi uma insistência do Paulo Guedes, que hoje reconhece que o Presidente está certo em não querer um dos capatazes de Lula em seu Governo…mais uma vez o Bolsonaro mitou, e o PT e seus súditos….xorou kkkkkkkkkk.

  2. Johann Sebastian Bach

    Com a substituição de Joaquim Levy por Gustavo Montezano, Jair Bolsonaro quer que o banco identifique onde foi investido o dinheiro enviado a obras de infraestrutura em Cuba e na Venezuela.

    A informação foi transmitida por Otávio do Rêgo Barros minutos após a confirmação de que Montezano comandaria o banco de fomento.

    Segundo o porta-voz da Presidência, Bolsonaro espera que Montezano adote medidas como a devolução de recursos que estão no banco ao Tesouro Nacional.

    Também acha que, além de abrir a “caixa-preta do passado”, o BNDES deve aumentar investimentos em infraestrutura e saneamento e ajudar a reestruturar estados e municípios.

  3. Johann Sebastian Bach

    Alguma dúvida que o Joaquim Levy já vai tarde? Nunca deveria ter vindo! Ah, mas é honesto! E daí? Serviu no governo de FHC. Foi Secretário da Fazenda de Sérgio Cabral no governo do Rio de Janeiro e Ministro da Fazenda de Dilma. Autorizou empréstimos em prejuízo do Brasil para Cuba, Venezuela, Bolívia, irmãos Batista – entre outros rolinhos mais…Preciso dizer mais alguma coisa sobre a carreira e o currículo do Mr. Been? Não, né? Que vá seguir sua carreira na iniciativa privada. Que volte ao Bradesco. No exercício de cargo ou função pública não se pode transigir com a confiança nem com a segurança. E ademais, não se pode abrir mão do talento. A crise que estamos enfrentando não teve a participação dele? Por ação ou por omissão? Então, tá! Tchau, companheiro!!!
    O medo da caixa preta do BNDES ser aberta está no ar!!!
    Quem é esse tal Renan?? Será que é aquele dos muitos processos judiciais?!? Aquele que conseguiu ficar na presidência do Senado com um belo acordo com o Supremo???

    É ou não é Divaldo…

    😄🤣😂😀😃😆😁👍

    👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🙏

Comments are closed.