Omar Coelho deixa comando do Podemos e “abre” espaço para Rui Palmeira
   29 de junho de 2019   │     19:23  │  0

O comunicado foi feito por “carta” nessa sexta-feira, 28. Omar Coelho está deixando o comando do Podemos em Alagoas. E abre com isso um leque de possibilidades para o partido.

Na carta divulgada no stories de sua conta no Instagram, Omar Coelho relata as dificuldades que enfrentou para viabilizar o partido em Alagoas (veja texto abaixo).

É vida que segue. P ara o partido, apontam os bastidores, o caminho é o grupo de Maceió, Rui Palmeira (PSDB).

Para o prefeito a saída do ninho tucano deve ser amadurecida a partir das sinalizações do senador Rodrigo Cunha, atual presidente do PSDB em Alagoas e da deputada federal Tereza Nelma.

Os dois têem planos diferentes para as eleições de Maceió em 2020. E como Rui Palmeira precisa de um sucessor para chamar de seu, a permanência na legenda parece cada vez menos provável.

E nada o impede de migrar para o Podemos – embora ele tenha outras opções, a exemplo do DEM. A conferir.

A “despedida” de Omar

Veja a carta de Omar comunicando seu desligamento da presidência do Podemos

Senhora Presidente Renata Abreu,

Em 2017, mais precisamente, no mês de outubro, assumi a presidência do Podemos de Alagoas, após forte disputa com forças políticas locais, os quais queriam o Partido, mas com o apoio do nosso líder Álvaro Dias e o seu, fui efetivado e formamos o diretório.

Nossa primeira providência foi tentar organizar o partido administrativamente, porque o Podemos era novo, mas trazia consigo o passado do PTN, que já havia sido grande, mas se havia se tornado um pequeno partido, passando de mão em mão, de eleição a eleição.

Não nos foi passado um único documento, a não ser a nominata, começamos a buscar o saneamento de suas prestações de contas, que estavam em aberto desde 1997, sanando-se apenas nos anos eleitorais.

Entretanto, havia uma eleição que se avizinhava e tínhamos um grande nome a apresentar ao país, aquele que realmente poderia fazer a diferença e trazer a mudança que o povo precisava, nosso presidenciável Álvaro Dias.

A opção de não me candidatar, mas de trabalhar para que o partido tivesse candidatos do mesmo nível da nossa campanha nacional, me fez deixar a presidência, para que o Partido tivesse sob o comando de um forte nome à Câmara dos Deputados, outros à Assembleia Legislativa, e pudesse colaborar na divulgação de nosso presidente.

Infelizmente, as coisas não andaram como o imaginado e, após alguns contratempos, retornei a presidência do Partido, me encontrando até hoje, mas, com todos os encalços, deixamos o Podemos de Alagoas com a suplência do Senado, com Rafael Tenório.

Confesso, Senhora Presidente, que me empenhei para que tudo funcionasse, mas a ausência absoluta de recursos, materiais e financeiros, além da forma com que se faz política no Brasil, me frustaram, pois de todas as funções que já ocupei, desde a Associação dos Procuradores do Estado de Alagoas, passando pela Associação Nacional dos Procuradores de Estado e do Distrito Federal, pela Procuradoria Geral do Estado e Colégio Nacional dos Procuradores-Gerias dos Estados, pela Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Alagoas etc, não me vi tão impotente.

Não desisti da política, continuo com o mesmo sentimento que norteou toda minha vida, de que podemos mudar o Brasil, livrando-o da corrupção e buscando diminuir as distorções políticas e sociais.

Entretanto, apesar de todos os conselhos contrários que tenho recebido, declino do cargo de presidente do Podemos de Alagoas, sem antes agradecer ao nosso líder no Senado e amigo Álvaro Dias, a quem tenho orgulho de ter seguido e sempre seguirei, aos Secretários Gustavo Castro e Adriano Stefanny, aos assessores Bruno Ornelas e Claudia Abreu, enfim, a todos os integrantes do Partido, bem como aos nossos amigos de Alagoas, que comigo estiveram na direção Estadual, meu muito obrigado.

Por fim, aguardo que Vossa Senhoria encontre um substituto, para que não deixemos o partido acéfalo.

Atenciosamente,

Omar Coelho de Mello