“Efeito Braskem”: ICMS de AL tem pior desempenho dos últimos anos em julho
   2 de agosto de 2019   │     21:15  │  1

A arrecadação de ICMS de Alagoas fechou em forte baixa em julho. No mês passado, a receita com o principal tributo estadual chegou a R$ 302,1 milhões com variação negativa de -8,70% segundo os números apurados pela coluna e confirmados pela Secretaria da Fazenda.

Em volume financeiro, a receita de impostos no mês passado é a menor desde outubro de 2017. Em desempenho (crescimento) o resultado é o pior em dois anos.

O resultado do mês influenciou na receita acumulada do ano. De janeiro a julho a receita de ICMS chegou a R$ 2,333 bilhões em alta nominal de 2,79% na comparação com a arrecadação em igual período de 208, que chegou a R$ 2,269 bilhões.

O secretário da Fazenda de Alagoas analisou os números a pedido do blog. A queda foi maior do que o esperado, explica George Santoro porque a base de comparação foi alta: “no ano passado tivemos a Copa. O setor de bebidas teve uma grande queda este ano quando comparado com o ano anterior”, pondera.

Não foi só o setor de bebidas. Além disso, aponta o secretário, teve a paralisação de duas grandes indústrias do Estado – uma fábrica de achocolatado em União dos Palmares e a unidade de cloro e soda da Braskem em Maceió. “Os três juntos deram esse impacto negativo na arrecadação”, pondera Santoro. De resto os outros setores se comportaram dentro do esperado.

A situação pode piorar?

É difícil imaginar o que vem pela frente. Mas é quase certo que a paralisação da fábrica da Braskem em Maceió começará a afetar outras indústrias do setor químico e plástico. São mais de 80 empresas e cerca de 20 mil empregos diretos e indiretos na cadeia química e do plástico em Alagoas. A queda de arrecadação que se viu em julho poderá se repetir em outros meses e até crescer se outras indústrias diminuírem o ritmo de produção. Mas essa é outra história.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Ze

    A saída da Salgema do estado já aparece nas estatísticas como um fato nocivo a nossa já combalida economia baseado na produção e beneficiamento da cana de açúcar.Creio que o secretário já tenha projeção dos cenários com a saída da referida indústria,está na hora de colocar as cartas na mesa,se é que ainda temos.

Comments are closed.