Acordo com Trump ‘condena’ usinas em Alagoas e salva empresas nos EUA
   4 de setembro de 2019   │     0:17  │  2

É simples assim. O governo brasileiro aumentou a cota de importação de etanol de milho dos Estados Unidos de 600 milhões para 750 milhões de litros a partir desta semana.

A medida agrava a crise no setor sucroalcooleiro do Nordeste, que está começando uma nova safra, e alivia pequenas refinarias americanas.

A medida foi condenada pro representantes de produtores nordestinos. O aumento da importação sem impostos afeta principalmente o setor sucroalcooleiro do Nordeste, que responde pela geração de mais de 300 mil empregos e está em plena safra.

A importação é feita, principalmente, a partir do Maranhão, o que afeta ainda mais a indústria nordestina.

Segundo dirigentes do setor em Alagoas, a importação afeta a comercialização de etanol, pressionando os preços e deve atingir diretamente mais de 20 mil fornecedores de cana.

No Twitter, o presidente dos EUA, Donald Trump, comemorou a bondade do governo de Jair Bolsonaro.

Para Trump, a medida está trazendo “grandes progressos para agricultores” – os norte-americanos, é claro. “Será ainda melhor para o etanol e nós vamos salvar as nossas pequenas refinarias.”, disse no Twitter.

O senador Renan Calheiros (MDB) Alagoas condenou o aumento da cota de importação de etanol sem nenhuma taxação (com imposto zero). O etanol extra cota paga 20% de taxas.

“Como representante de Alagoas, o sétimo produtor de etanol quero expressar a minha inconformidade com a incompreensível e inexplicada subserviência brasileira quanto ao etanol”, disse.

A medida, reforça Renan, afeta as empresas brasileiras: “O governo brasileiro elevou para 750 milhões de litros a cota para importações anuais de etanol sem tarifa, pasmem, que irá vigorar por 12 meses. Óbvia a reação. Trump salva suas pequenas refinarias e nós condenamos as nossas”.

Na avaliação do senador, o Brasil vai ajudar a amenizar problemas internos dos EUA: “A guerra comercial com a China criou dificuldades de exportação para os produtores do meio oeste, uma base politica relevante para as pretensões da reeleição de Trump”.

O senador cobrou explicações do governo brasileiro: “Os conceitos de soberania tão fartamente usados contra o G7 ficam completamente deslocados. Eu vou encaminhar a Vossa Excelência um pedido de informações aos ministérios da Economia, Agricultura e ao Itamaraty sobre as razões da medida, as atas de reuniões e termos técnicos preparatórios que as justificam”, afirmou.

Vale a pena ler de novo:

Para entender melhor  o tema, recomendo ler o texto publicado aqui sobre o tema:

Governo autoriza aumento importação de etanol e prejudica Nordeste

Saiba mais:

Ampliar importação de etanol “trará prejuízos às empresas brasileiras”, diz sindicato de usinas da Paraíba

Governo eleva cota de importação de etanol sem tarifa por 12 meses. Medida beneficia EUA

Trump comemora elevação da cota de importação de etanol pelo Brasil

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Márcio Apratto

    Quero saber se ainda tem usineiros ou fornecedores de cana que apoiam o governo do Bozo, saiu caro pra vocês apoiarem o golpe esse ódio a esquerda, ou vocês achavam que eram inatingíveis e só o pobre iria perder, o atual presidente do governa para os USA entendam de vez e vamos à luta a solução é só uma Lula Livre aí sim governa para o Brasil governa para todos pobres e ricos todos ganham

Comments are closed.