Ações da Braskem disparam após informação de retomada de venda pela Odebrecht
   20 de setembro de 2019   │     17:03  │  4

A forte alta das ações da Braskem na Bovespa ocorreu a partir desta sexta-feira, 20, a tarde. A disparada foi atribuída pelos principais portais de economia do país a uma retomada da venda da empresa pela Odebrecht.

Segundo o Money Times, “na parte inicial da tarde desta sexta-feira as ações da Braskem (BRKM5) operam com forte valorização puxada pela notícia de que a Odebrecht estaria contratando a Lazard para retomar o processo para a venda de sua participação na companhia. As informações foram publicadas no site Brazil Journal”.

De acordo com a publicação, a Odebrecht já estaria em conversações com o banco de investimentos, sendo que foi o Lazard que esteve ao lado da construtora na ocasião das negociações com a LyondellBasell, mas que fracassaram no começo de junho deste ano.

Coincidência ou não a retomada da venda ocorre após a Braskem conseguir um laudo da universidade de Houston (EUA) sobre o acidente nos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, em Maceió. De acordo com a versão apresentada no site da Braskem, o estudo da universidade americana revela inconsistências no relatório apresentado pela VPRM.

Veja aqui o texto produzido pela Braskem: Universidade de Houston usa supercomputadores e revela imprecisão no relatório sobre afundamentos em Maceió

Saiba mais

Braskem dispara 7% após Odebrecht contratar banco para venda de fatia

Ações da Braskem saltam 6% com Odebrecht retomando venda; Eletrobras cai com dúvidas sobre privatização

 

COMENTÁRIOS
4

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Johann Sebastian Bach

    Todo APRIMORAMENTO INSTITUCIONAL passa, necessariamente, primeiro pelo PODER JUDICIÁRIO!!!
    Castelo Branco, em 64, não quis reformar a estrutura de Poder do Judiciário, que era mais vetusta, mas já tinha latentes os vícios atuais. A corrupção era menor, mas grassava o tráfico de influências e o “lob bancário”. Estamos pagando o preço daquele equívoco, que amarra o Brasil na pobreza, impedindo o Estado de proteger as pessoas.
    Esses vícios são terríveis, porque impedem o avanço civilizatório e tornam totalmente ineficazes e decadentes as estruturas do Estado.
    A NAÇÃO precisa EXERCER O PODER INSTITUINTE(originário) para INTERVIR CONSTITUCIONALMENTE e REFORMAR as INSTITUIÇÕES.
    O caminho mais lógico e pacífico é através do DECRETO PRESIDENCIAL, previsto no artigo 84 inciso X da Constituição Federal. Prender corruptos, eleger outros não muda as estruturas viciadas.
    Urge limpar e reformar as Estruturas do Estado, nos Três Poderes da República, ou perderemos a soberania, porque o mundo precisa de um Brasil pujante, que exerça o seu papel, para os brasileiros e para a humanidade.
    BOLSONARO SALVE o BRASIL, DECRETE A INTERVENÇÃO FEDERAL !!!

    👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🙏
    😃😄😁🤣😀😂🤡👍

  2. Teo

    Obrigada Claudia pela excelente indagação. Realmente, como é q uma universidade pega um relatório, e sem visita “in loco” analisa. Será q humanos pode ser comparado a desgraça? Me mudei do bairro Mutange há 5 meses, sem aluguel social, porque meus filhos já estavam em desespero.
    A CPRM não iria jogar a credibilidade na lama. Essa universidade recebeu foi uma propina grande e só analisou papel, a CPRM colocou a mão na massa. É claro q a braskem não iria montar provas pra si.

  3. Pacelly Luz

    Acabar com a vida das pessoas que não tem apoio de nada nesse estado e arrumar um meio de se eximir da culpa é fácil difícil é assumir seu próprio erro infelizmente essa é a cara do nosso estado e do nosso Brasil.

  4. Claudia duarte

    Gostaria de saber de o estudo feito pela competente Universidad de Houston foi feito “in loco”??pois fazer um relatório a distância apenas para eximir responsabilidade da Braskem é uma coisa, mas deixar a população a um risco iminente de uma catástrofe é outra. Vejam o que aconteceu com os relatórios das empresas internacionais que afirmaram a estabilidade da barragem em Brumadinho!! Varias mortes! Será que uma nova tragedia humana irá acontecer em face do poder econômico valer mais???? Muito triste mesmo.

Comments are closed.