Preso nos EUA, ex-presidente da Braskem ajudou a “desenvolver” Alagoas
   20 de novembro de 2019   │     23:43  │  0

A informação está em vários veículos locais e nacionais. O ex-presidente da Braskem José Carlos Grubisich foi preso nesta quarta-feira (20) em Nova York sob acusações federais de corrupção, de acordo com uma autoridade americana.

Vale lembrar. Como presidente da Braskem, Grubisich teve papel importante no processo de “desenvolvimento” de Alagoas. Foi sob sua gestão na Braskem que a empresa trabalhou para viabilizar – ainda no governo de Teo Vilela (PSDB) – o Polo Multifabril de Marechal Deodoro e a Cadeia da Química e do Plástico em Alagoas.

A partir da atuação de Grubisich e da Braskem, o Estado conseguiu atrair importantes indústrias que utilizam matérias-primas e insumos fornecidos pela empresa, especialmente na área de PVC.

Saiba mais:

Veja trecho de reportagem da Folha de São Paulo sobre a prisão de Grubisich:

O ex-presidente da Braskem José Carlos Grubisich foi preso nesta quarta-feira (20) em Nova York sob acusações federais de corrupção, de acordo com uma autoridade americana.

Segundo a autoridade ouvida pela agência Reuters, o executivo foi detido no aeroporto John F. Kennedy, em Nova York, e era esperado que ele comparecesse a uma corte federal no Brooklyn ainda nesta quarta-feira (20).

Grubisich foi acusado de conspiração por violar uma lei de corrupção estrangeira dos EUA, por lavagem de dinheiro e por ter supostamente participado de um esquema de propinas para conseguir e manter contratos governamentais, de acordo com a Bloomberg.

Na acusação, os promotores dizem que Grubisich e outros funcionários da Braskem e da Odebrecht participaram de uma conspiração para desviar cerca de US$ 250 milhões (o equivalente hoje a R$ 1,05 bilhão) para um fundo secreto, que foi usado em parte para subornar funcionários. O esquema teria ocorrido entre 2002 e 2014, de acordo com o indiciamento.

Leia aqui a reportagem na ítegra: Ex-presidente da Braskem é preso sob acusação de corrupção nos EUA