“Quem alimenta a divisão interna faz jogo dos adversários do PT”
   30 de janeiro de 2020   │     21:49  │  0

O Partido dos Trabalhadores terá candidato a prefeito de Maceió. É decisão tomada, martelo batido. É orientação da “nacional”, sem possibilidade de mudar para outra posição.

Em meio a esse cenário, desde maio de 2019, dois nomes estão postos como possíveis candidatos a prefeito da capital pelo PT: Luciana Caetano e Ricardo Barbosa.

A ‘divisão’ interna, as torcidas por uma das (ou das duas) candidaturas tem aumentado na medida em que se aproxima o momento da definição. O partido, se seguir assim, fará prévias para escolher um dos nomes.

Mas as ‘batalhas’ parecem que começaram a ser travadas antecipadamente por alguns grupos petistas, a ponto da circulação de textos em veículos locais que tentam desqualificar um candidato e promover o outro.

Presidente estadual do PT e pré-candidato a prefeito, Barbosa ficou preocupado com o ‘tom’ da ‘reportagem’ que circulou nessa quarta-feira, 29, num veículo local. Para ele, quem alimenta a divisão interna faz o jogo dos verdadeiros adversários do PT ‘que estão fora do partido’.

“Rolou uma matéria (não sei quem fez) que causou um constrangimento, um mal estar danado, principalmente, internamente no PT. Foi uma matéria provocada por um grupo que apoia a pré-candidatura da Luciana. A repercussão dessa matéria foi muito ruim para o PT, no sentido de que deu a ideia que o PT está rachado, dividido, mas o PT merece mais do que isso”, pondera Barbosa.

Ricardo diz que está muito preocupado com a unidade do Partido dos trabalhadores: “a unidade não interessa aos nossos adversários. Alguns grupos políticos dentro do PT, movidos pela paixão por uma candidatura ou outra, ou por uma vaidade qualquer, não está se dando conta que a gente está fazendo o jogo de todos os nossos adversários verdadeiros nesse processo, que não estão dentro do PT”, afirma.

Quanto a ele, ao que parece, o efeito foi o contrário do esperado: “Eu sou mais do que nunca, e principalmente agora, pré-candidato a prefeito de Maceió, até porque me sinto qualificado pra isso”.

Prévias

Em entrevista a um site local, Luciana Caetano ponderou que “a base da militância (do PT) está ativa em defesa das prévias. Querem discutir os rumos que o partido irá tomar”.

Ela acrescentou: “O PT tem um estatuto que prevê debates nas disputas internas. A mim, soa como um espaço democrático de construção coletiva…. Não é um partido de pensamento único. E , assim sendo, é preciso debater e construir o caminho consensual democraticamente. Nesse instante, dividido.”.

Mantidas as duas pré-candidaturas o PT terá prévias. Até lá, pelo jeito, o debate deve ganhar as ruas.