Edital de “privatização” da Casal sai na próxima semana
   1 de fevereiro de 2020   │     18:30  │  6

O governo de Alagoas segue em frente com o projeto de ‘privatização’ da Casal, tratado como ‘concessão de saneamento’.

O secretário de Infrestrutura do Estado, Maurício Quintella tem concentrado esforços no processo que deve começar na próxima semana e terminar 90 dias depois.

O edital para a concessão do serviço de saneamento na Grade Maceió (13 cidades, o equivalente a 43% da população de Alagoas), adianta deve ser lançado já na semana primeira de fevereiro – o que deve acontecer até a próxima sexta-feira.

Segundo Maurício Quintella, o edital será a primeira grande concessão do Brasil este ano. Os grupos interessados em participar deverão garantir investimentos da ordem de R$ 2,5 bilhões em até dez anos.

O leilão da concessão será na Bolsa de Valores de São Paulo e deve ocorrer 90 dias após o edital. “A Casal continuará operando e com a remuneração da água (que receberá após a licitação) terá condições para manter sua estrutura e para investir em saneamento no interior”, aponta.

Concessão

Na prática, a Casal deixará de operar na área de esgoto e vai passar a produzir água para a empresa que vencer o leilão. Em outras palavras, a Casal será uma ‘prestadora de serviços’ para a nova empresa.

O secretário Maurício Quintella acredita que o leilão será um sucesso: “existem hoje várias empresas interessadas. O valor do investimento será o mesmo e o critério de desempate passará a ser o valor pago pela água a Casal”, explica.

Apesar da resistência de trabalhadores do setor e de vários outros segmentos da sociedade civil, o secretário defende a concessão: “A Casal tem 60 anos e Maceió tem hoje 35% de cobertura de saneamento, enquanto a Região Metropolitana tem 29%. A Casal dispõe de uma baixa capacidade de investimento e os sistemas municipais também. Para a Região Metropolitana suprir essa necessidade de saneamento, são necessários aproximadamente R$ 2 bilhões, que é a obrigação que o concessionário vai ter que cumprir”, aponta.

O secretário diz ainda que a partir da concessão, a universalização dos serviços de água e esgoto na grande Maceió levará de 6 a 8 anos. “Se fossemos hoje depender da capacidade de investimento das empresas públicas, tanto estaduais quanto as dos sistemas municipais, nós teríamos aí um horizonte de um século para cumprir a meta de saneamento. Com a concessão, o compromisso de cumprir a universalização da água é de seis anos, uma água de boa qualidade, tratada”, afirma.

Um atraso de 3 meses

A previsão inicial do governo era lançar o edital de concessão do saneamento no início de dezembro do ano passado (veja texto abaixo). O edital, no entanto, dependida da sanção da nova lei das PPPs, o que ocorreu em janeiro deste ano, como registrado aqui.

Veja os links:

RF sanciona ‘de novo lei’ das PPPs e abre caminho para privatizar Casal

Edital de concessão do saneamento de Maceió será lançado em 30 dias

 

COMENTÁRIOS
6

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. João Caldas

    No final de tudo o Povo vai ficar de cueca, reclamando da alta na conta de água, a Mídia vai ganhar mas verbas publicitária e os responsáveis por isso ficarão mais ricos no mercado financeiro. E Viva o Bozo.

  2. Mauricin Gabiru.

    Tem uns gabirus roubando a merenda lá do colégio, mas não tem ratoeira, cola e milioitenta que dê jeito.

  3. Amigo do Povo

    O Senhor deveria ter vergonha de divulgar tais números e ainda dizer que alguns setores da sociedade Maceioence/Alagoana são contra o processo de privatização. Nem o zimbawe tem numeros assim.
    E o0 que dar colocar apenas incompetents ma direção através de cochavos politicos.
    A turminha que governa e a mesma de sempre, se alternando no governo atraves dos tempos.

  4. Álvaro Costa

    Edivaldo, por favor não use o termo “privatização” porque ele não corresponde à realidade. Privatização significa venda e o que será feito é uma concessão, ou seja, o privado opera por um período e depois os ativos retornam ao estado.
    O modelo é interessante e pode trazer muitos avanços ao estado, se houver uma agência reguladora bem preparada para acompanhar o contrato.
    Vamos ver o que o futuro nos reserva e devemos pensar positivo.

  5. Alex sandro

    O Exmo secretário e toda cúpula política só esquece de dizer que a mesma empresa que não tem condições de investir foi anos cofres para as politicagens e barganhas políticas… E tbem quem vai pagar por esses bilhões de “investimentos” será a população que só de início pagará o dobro do que paga hoje com a cobrança do esgoto… Sem falar no aumento que com certeza a iniciativa passará para a população os investimentos… É só aguardarem

Comments are closed.