Revelados detalhes da história ‘quase secreta’ do acordo entre Rui e RF
   6 de março de 2020   │     8:50  │  3

Renan Filho e Rui Palmeira terão o primeiro encontro público ‘pós-acordo’ nesta sexta-feira, 6, pela manhã. A pauta oficial do encontro entre governador e prefeito é saneamento. Na prática o governo deve tirar do edital de concessão dos serviços (também chamada de privatização da Casal) as obras que serão tocadas pela prefeitura.

O encontro, de fato, servirá para demonstrar que os dois construíram uma aliança política e subirão no mesmo palanque em Maceió este ano.

Algumas considerações que passo a fazer agora podem ajudar a traduzir melhor esse acordo, que para muitos é inaceitável.

São informações que ouvi dos dois ‘protagonistas’ e de vários interlocutores – incluindo deputados estaduais, vereadores, secretários de estado e a turma da ‘rádio corredor’.

1 – O acordo de Rui Palmeira e Renan Filho foi fechado muito antes do que todos imaginavam (inclusive eu). A primeira conversa foi realizada ainda em dezembro de 2019. Os dois tiveram um longo encontro. Chegaram ao entendimento de que poderiam ganhar mais como aliados do que como adversários – ainda mais com uma campanha acirrada e cara pela frente.

2 – A partir da conversa, decidiram que seria possível avançar para um acordo dependendo do que iria acontecer dali em diante. Decidiram  manter entendimento em ‘segredo’. Na hora certa anunciariam a decisão, que dependia ainda de alguns fatores.

3 – Outros ‘personagens’ ajudaram a construir o enredo do acordo até agora. E veio do PSDB o maior ‘incentivo’ para a aliança. Ao defender um nome do partido para a prefeitura, Rui Palmeira foi de encontro ao projeto de Rodrigo Cunha, que continuou preferindo JHC, único nome que o atual prefeito não aceitaria apoiar. Deu no que deu.

4 – Antes mesmo de sair do PSDB e já prevendo qual seria o desfecho, Rui Palmeira voltou a conversar com Alfredo Gaspar de Mendonça – o nome do Palácio dos Palmares para a prefeitura de Maceió – e fechou o acordo, consolidado em novas rodadas de conversas com o governador.

5 – Renan Filho e Rui Palmeira chegaram a um entendimento sobre 2020. E só isso, por enquanto. O candidato será do MDB e o prefeito indica o vice. Ficaram de discutir 2022 mais à adiante, dependendo do que vier pela frente. Aí entra a história do “SE”. Se Alfredo ganhar é uma história, se perder é outra. E vai lá saber o que “se” tem mais numa eleição que será decidida pelo povo, que anda muito imprevisível nos últimos temos.

5 – Com o acordo fechado, foi Renan Filho quem primeiro ‘vazou’ a informação para alguns deputados estaduais no dia 18 de fevereiro passado. No mesmo dia Rui confirmou a história a Davi Davino Filho, pré-candidato do PP a prefeitura, com quem negociava a possibilidade de apoio. Em seguida fez o mesmo com Ronaldo Lessa. A confirmação também foi feita a outros deputados e vereadores. Essa e outras ‘pistas’ chegaram até aqui e disparei a informação no blog.

6 – O ‘vazamento’ até agora serviu para amortizar o impacto da aliança, inesperada e surpreendente para muitos. A estratégia hoje é sair das especulações e ir para as confirmações.

7 – O começo de toda essa história bem que poderia ter sido agora. Não foi. Em 2018 Gaspar seria candidato ao Senado e desistiu após conversar com o governador. Os dois, ao que parece, estão cumprindo o que acertaram lá atrás.

8 – E muito antes disso Renan Filho e Rui Palmeira chegaram a acertar uma aliança em 2016, ano da reeleição do atual prefeito. Teria dado certo, não fosse a candidatura de Cícero Almeida…

9 – Governador e prefeito juram que nunca se trataram como inimigos, mas sim como adversários. E aproveitaram para relembrar nas conversas  a convivência que tiveram como filhos de políticos conhecidos em Brasília. A idade próxima dos dois (Rui 43, Renan Filho 40) e a origem familiar também contribuiu para  ‘quebrar o gelo’.

10 – Por último, mas não menos importante. De uma maneira muito esquisita, Renan Filho costuma dizer a interlocutores que ter Rui na oposição ‘foi bom’.  A condição  o  estimulou a atuar de forma mas intensa em Maceió, com ações sobre as quais os dois certamente irão falar no encontro desta sexta-feira. Resta saber se ele continuará com a mesma disposição a partir de agora.

Não custa lembrar, em política pode tudo – ou quase. Entre os principais candidatos que estão postos hoje na disputa em Maceió, todos já foram aliados ou assessores de Rui Palmeira e Renan Filho em algum momento, incluindo as campanhas. Aí cabem JHC, Ricardo Barbosa, Ricardo Santa Ritta, Ronaldo Lessa, Gaspar, Davi Filho e Cícero Almeida.

Na maioria dos casos o afastamento ou aproximação foi bem mais sútil. Talvez por isso é que Rui terá (está tendo) muitas dificuldades de se explicar com antigos aliados. Mas essa é outra história.

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Luiz Marques da Silva

    TRISTE, muito triste a realidade de NOSSO ESTADO. São oportuníssimas AS mensagens que cito abaixo, a respeito da CRUEL realidade que “aselite” políticas, tentam NOS impor.
    ALAGOAS, detém a anos, os piores índices sociais, e não se vê PROJETOS de Governo, só projetos de poder. TRISTE realidade.
    Se “digladiam”, se ofendem, e depois se abraçam. Isso NOS confunde.
    1-A Rede Bandeirantes, no sentido de homenagear o Saudoso Jornalista Ricardo Bohecha, fez uma homenagem, no dia de 01 ano de sua morte, com uma Reportagem, DIVULGADA dia 11/02/2020. “NUNCA A CLASSE POLÍTICA SE NIVELOU TÃO POR BAIXO”. Cabe uma REFLEXÃO.EXCELENTE REPORTAGEM,

    No Huffpost Brasil de hoje,. Ronaldo Caiado, comenta que a população ativa faz autoridade recuar e constrange, resume.

    “Movimento pacífico, ordeiro, mostrando que não concorda com uma ideia faz com que as autoridades reflitam.”

    . Caiado, que já foi deputado e senador, afirma que “enquanto a política for balcão de negócio, a população vai reagir da maneira como está reagindo”.

    TRISTE E CRUEL REALIDADE

  2. Maria José

    Caro Edvaldo com relação ao item 5 te passaram errado,foi acordado sim já para 2020 c o atual prefeito sendo o candidato ao Governo.
    Mais esse prefeito vai levar um dible tão grande que vai ficar atordoado.
    Já Alfredo é com grande tristeza que vejo um cara que sempre combateu a corrupção está junto com essa gangue.

Comments are closed.