Senador pede que TCU investigue “migração criminosa do Bolsa Família”
   16 de março de 2020   │     23:00  │  0

A novas concessões (inclusões de pessoas) no Programa Bolsa Família em 2019 penalizam o Nordeste privilegiam estados em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teve mais votos – a exemplo da região Sul do país. A denúncia foi feita pelo senador Renan Calheiros (MDB), a partir de documentos do Ministério da Cidadania fornecidos ao Congresso Nacional.

Em sua conta no Twitter, o senador Renan Calheiros (MDB) pediu o Tribunal de Contas da União (TCU) fiscalize a “migração criminosa do Bolsa Família do Nordeste para Sul-Sudeste”.

Em janeiro deste ano todo foram liberados para o Nordeste – cuja população considerada na pobreza ou extrema pobreza soma mais de um milhão e 300 mil que não tem acesso ao PBC – 3.035 novos benefícios, enquanto para a região Sul, com 308 mil pessoas na mesma situação, foram concedidos 29.308 benefícios em igual período.

Veja o que disse o senador no Twitter:  “O @TCUoficial deve fiscalizar a migração criminosa do Bolsa Família do Nordeste para Sul-Sudeste, e não desfazer decisão sobre o BPC, que significa apenas 1/3 dos recursos que o Congresso quer entregar ao relator do Orçamento. Não cabe ao TCU controlar o processo legislativo. https://twitter.com/agenciabrasil/”