Instituto promete registrar pesquisas em Maceió e Arapiraca
   18 de março de 2020   │     16:06  │  0

Pesquisa eleitoral sem registro no TRE em ano de eleição, pela regra, não deveria ser divulgada – nem mesmo em grupos de Watsapp. Não é o que acontece.

Resultados de levantamentos, reais ou falsos, circulam com força nas redes sociais. E vai ser assim até o dia da eleição ou até que apareçam as pesquisas registradas.

Até o momento não tinha nenhum sinal de que algum instituto local iria registrar levantamento de opinião sobre as eleições, seja na capital ou interior. Não tinha.

Consultor político, Eugênio Albuquerque, está à frente com um sócio, do Instituto de pesquisa Data Sensus (divulguei aqui um levantamento dele feito em São Miguel dos Campos em 2019) e promete divulgar ao menos duas pesquisas em Maceió e uma em Arapiraca.

“Eu e meu sócio, Mário estamos planejando registrar pelo menos duas pesquisas na capital e uma em Arapiraca, com divulgação e análise. Estamos dando o nosso melhor e levando em conta todos os acertos que tivemos no ano de 2016 e, principalmente, em 2018 quando previmos, já na pré-campanha, a possível vitória do senador Rodrigo Cunha; e, na reta final, a vitória do deputado revelação das urnas Cabo Bebeto. Esses acertos e o trabalho dedicado e sério de toda a equipe me levam a crer que vamos acertar muito em 2020.”, aponta.

Eugênio diz que levantamentos realizados desde o início de 2019 revelam que a avaliação dos atuais prefeitos melhorou em 2020. “Desde do início desse ano, os gestores, em sua maioria, têm melhorado significativamente a avaliação de suas gestões; o que é importante em ano eleitoral”, pondera.

O percentual de reeleição de prefeitos que podem disputar um novo mandato tende aumentar, avalia Eugênio, a partir de observações dos resultados do último pleito.

“Estudos feitos no Brasil mostram que o ano de 2016, que foi a última eleição municipal, tivemos a menor taxa de reeleição para prefeito. Apenas 48% dos prefeitos conseguindo êxito. Parece que com isso, os atuais gestores, apesar das dificuldades, têm tentado melhorar sua avaliação de gestão, como também articulação no município e até mesmo, em muitos casos, a oposição dividindo votos pode fazer com que o número de prefeitos reeleitos aumentem. Pelo menos em Alagoas é o que estamos analisando.”, aponta.