Maior programa social de AL pode ser cancelado por falta de recursos federais
   20 de março de 2020   │     19:48  │  0

O programa do leite, maior ação social do governo de Alagoas corre o risco de acabar até o final deste mês. O contrato com as cooperativas de agricultores familiares que fornecem o produto vai até o dia 31 de março e ainda não foi renovado – nem há prazo para renovação.

Atualmente o programa do leite atende 80 mil alagoanos, entre idosos, crianças e nutrizes carentes dos 102 municípios alagoanos.

A suspensão pode afetar cerca de 15 mil idosos que recebem leite do programa em Alagoas, justo no momento que enfrentam a ameaça da pandemia do coronavírus.

A Secretaria de Agricultura informa que o processo (edital) para a realização de novo contrato está em tramitação. Mas com a suspensão dos serviços públicos em função da pandemia, o programa corre o risco de ser suspenso sem uma solução.

Pior é que os recursos federais para o programa do leite não estão assegurados. O Ministério da Cidadania tem orçamento de apenas R$ 30 milhões para todo o país este ano. Só Alagoas precisaria de R$ 28 milhões. Conseguir mais recursos depende do empenho da bancada federal de Alagoas e do governo do Estado.

Em reunião com cooperativas que operam o programa do leite, na semana passada, o secretário de Agricultura, João Lessa, sinalizou que vai determinar a suspensão das entregas de leite até que um novo contrato seja realizado.

Esforços

O governador Renan Filho informou as cooperativas que fará um esforço para a manutenção do programa do leite em Alagoas e recomendou a mobilização de agricultores familiares junto à bancada federal do Estado.

“Quero manter o programa do leite, que é muito importante para Alagoas, mas é preciso também que o governo federal assegures os recursos”, diz o governador.