Pela primeira vez em 18 anos, programa do leite é suspenso em AL
   15 de julho de 2020   │     18:12  │  3

Ao longo de 18 anos, desde quando foi criado em 2002, o programa do leite enfrentou várias crises. Mas em nenhuma delas houve registro de uma parada tão longa.

Sob a justificativa de que é necessário promover uma reformulação, a Secretaria de Agricultura do Estado suspendeu as entregas do programa de leite.

Cerca de 80 mil beneficiários estão sem receber os 4 de litros que tem direito semanalmente, cada um, desde a segunda quinzena de junho.

A Seagri-AL tem explicado que a parada foi necessária para ajustes no programa. E a promessa é que as entregas devem ser retomadas ainda este mês.

Para retomar o programa nos moldes em que ele funcionava, com o leite sendo fornecido por agricultores familiares organizados em cooperativas, será preciso superar alguns entraves.

Um deles é a regularização dos pagamentos aos produtores, que está com quase 6 meses de atraso. Desde a segunda quinzena de janeiro deste ano, os agricultores estão sem receber a contrapartida pelo leite que foi entregue desde janeiro deste ano.

Outro problema a ser superado é o preço do leito. No momento, o mercado de lácteos está em alta. No mercado privado, o produtor está recebendo R$ 1,40 no mínimo pelo litro de leite, enquanto o valor do programa é de R$ 1,28.

Prazos

Por telefone, o secretário de Agricultura de Alagoas, João Lessa, deu algumas previsões importantes. Ele espera regularizar pagamento aos agricultores do programa até o final da próxima sema.

De acordo com o secretário, o Conselho do Fecoep (Fundo que garante recursos de contrapartida para manutenção do programa do leite em Alagoas) deve se reunir na próxima quarta-feira (22).

Na reunião do Fecoep devem ser aprovados os recursos para o pagamento dos valores atrasados, que somam mais de R$ 10 milhões e mais os recursos de contrapartida para a execução do convênio do PAA Leite, entre julho de 2020 e março de 2021. A contrapartida é de pouco mais de R$ 5 milhões.

“O programa do leite é mantido em convênio com o Ministério da Cidadania. Nós conseguimos um aditivo, com a ajuda da bancada federal, de quase R$ 20 milhões para execução do PAA Leite entre julho deste ano e março do próximo. Para isso o governo do Estado se comprometeu a dar uma contrapartida e pagar todo o atrasado, o que soma cerca de R4 16 milhões”, explica Lessa Neto.

Novo sistema

Apesar do atraso no pagamento e da suspensão da entrega, o secretário João Lessa fez uma live, na sexta-feira (11) para lançar “o novo sistema do Programa do Leite em Alagoas”.

Segundo a assessoria da Pasta, “a ferramenta foi desenvolvida com o intuito de diminuir a burocracia, reduzir o excesso de documentos físicos e assegurar que o leite seja entregue com rapidez ao beneficiário”.

De acordo com o secretário, o programa será abastecido por instituições e órgãos públicos que fazem a distribuição do leite para beneficiários e por cooperativas e associações que representam os produtores – em módulos separados.

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Edson

    Não sabemos como funciona essa entrega de leite. Pelo menos na vila Kennedy em Ponta Grossa, só eram distribuídos 2 litros por pessoa. Começou com 8 depois quatro e este mês 2 . Será mesmo q vai ser regularizado?

  2. Delfino Silva

    O que está acontecendo é um descaso, atraso de pagamento matando o produtor, suspensão das entregas deixando de atender o povo carente em plena pandemia. Um monte de adequação de repente que prejudica o retorno do programa onde deveria ser feito com ele em continuidade. O que estão fazendo é acabar com o maior programa de inclusão social do estado por ingerência e falta de empatia com a população.

  3. Carlos

    Infelizmente esse governo nao se interesse em melhorar a vida de quem precisa, sem projeto e sem planejamento . Retrocesso sem precedência . A população está de olho

Comments are closed.