Com expectativa de alta de 6,4%, AL começa safra de cana 20/21 por Pindorama
   21 de agosto de 2020   │     17:20  │  0

A safra de cana-de-açúcar 20/21 começou oficialmente em Alagoas. A primeira unidade a entrar em operação foi a usina da Cooperativa Pindorama, em Coruripe, na terça-feira (18). Outras 14 indústrias devem atuar neste ciclo. Todas elas estão programadas para começar a moagem a partir do próximo mês.

A próxima indústria a entrar em operação é a Santo Antônio, de São Luiz do Quitunde, no dia 1o de setembro. “Até 23 de setembro as 15 unidades industriais em operação em Alagoas estarão em plena moagem”, adianta o presidente do Sindaçúcar-AL, Pedro Robério Nogueira.

Em todo o Estado, a safra 20/21 deve chegar a 18 milhões de toneladas, segundo estimativa do Sindaçúcar-AL. De acordo com levantamento divulgado na semana passada, o crescimento será de 6,4% na comparação com moagem do ciclo anterior, que foi de 16,9 milhões de toneladas.

Mesmo durante o pico da pandemia, as usinas de Alagoas mantiveram normalmente suas atividades na entressafra e deverão fazer o mesmo no período da moagem. “Setor sucroenergético enfrentou esse período mantendo a plena normalidade de suas atividades”, pondera Pedro Robério Nogueira.

“Apesar das restrições em outros setores, não demitimos em hipótese alguma e vamos fazer as contratações de pessoal que é regular nesse período de safra. Essa é uma resposta de um segmento importante para o Estado”, diz o presidente do Sindaçúcar-AL, acrescentando que a estimativa é produzir cerca 18 milhões de toneladas de cana na nova safra, em crescimento de 6,2% na comparação com o ciclo anterior.

Favorável

O presidente da Asplana, Edgar Filho, avalia que Alagoas começa a safra num bom momento do mercado do açúcar e do etanol. “Em São Paulo, a moagem começou em março, no momento em que começava a pandemia, que foi marcado por baixas no preço do etanol e por um aumento de produção de açúcar. Agora, a situação começa a se normalizar, o que pode favorecer o setor em Alagoas”, pondera.

De acordo com Edgar o açúcar no mercado mundial tem se mantido entre 12 e 13 centavos de dólar por libra peso, abaixo dos valores praticados até janeiro deste ano, que estavam em cerca de 16 cents. “Apesar da queda do preço na bolsa, a alta do câmbio favorece o setor em Alagoas. O dólar acima de R$ 5 compensa as perdas na cotação”, aponta.

Apesar do otimismo com o mercado, Edgar Filho, acredita que ainda é cedo para projetar uma safra em Alagoas na casa de 18 milhões de toneladas. “Acredito que a safra ficará acima de 17 milhões, mas só poderemos arriscar um crescimento maior, chegando a 18 milhões com a chegada do verão. Se for chuvoso, poderemos atingir essa marca. Mas se for seco, como no ciclo anterior, poderemos repetir a moagem”, afirma.

Pindorama

Com a expectativa de moer um milhão de toneladas de cana, a Pindorama deu o pontapé inicial na safra da cana 20/21 em Alagoas mantendo a tradição. Diretores, cooperados e colaboradores da empresa, participaram, ontem, da celebração de uma Missa em Ação de Graças.

A missa em Pindorama foi transmitida pelas redes sociais. O público reduzido que compareceu ao evento seguiu as normas do protocolo sanitário de prevenção e combate a covid – 19.  O evento também marcou a entrega de novos investimentos na indústria, que teve sua área de circulação de veículos pavimentada, além de pintura da usina e aquisição de novos equipamentos.

A unidade deve ter crescimento de 15% ante o ciclo anterior e espera esmagar 1 milhão de toneladas de matéria-prima.

O presidente da Cooperativa, Klécio Santos, explica que a decisão de adotar um calendário diferenciado tem o objetivo de absorver um maior volume de cana de fornecedores da região sul. “Também avaliamos que é melhor para o canavial começar a safra mais cedo e terminar a moagem também mais cedo”, aponta.

Usina da Cooperativa Pindorama passou por reparo, ganhou pintura e pavimentação da área de circulação de veículos para a safra 20/21