Com R$ 353 mi, ICMS de AL volta a crescer em agosto, apesar da pandemia
   8 de setembro de 2020   │     17:33  │  0

Com o início da pandemia, receita de ICMS de Alagoas apresentou um comportamento de queda. O primeiro resultado negativo do ano -0,42% foi registrado em março e foi acentuado em em abril, redução (-10,12%) e maio (de -20,71%). Em junho, o desempenho negativo, mas com tendência de recuperação. Naquele mês, o ICMS teve queda nominal de -7,2%.

Em julho, pela primeira vez, desde o início da pandemia do novo coronavírus, a arrecadação de ICMS de Alagoas fechou com desempenho positivo. Naquele mês, a receita do ICMS ficou em R$ 334,6 milhões em alta nominal de 10,1%.

Em agosto, pelo segundo mês consecutivo, desde o início da pandemia, a arrecadação de ICMS de Alagoas fechou com desempenho positivo. No mês passado a receita com o imposto ficou em R$ 353,9 milhões em alta nominal de 9,56% na comparação como mesmo mês do ano anterior, quando foram arrecadados R$ 323,09 milhões.

No acumulado de janeiro a agosto de 2020, o volume arrecadado de ICMS em Alagoas chega R$ 2,645 bilhões, praticamento zerando a em queda na comparação com os R$ 2,657 bilhões arrecadados em igual período do ano anterior.

Com o resultado, a Secretaria da Fazenda de Alagoas conseguiu reduzir as perdas. O desempenho negativo chegou a -3,65% até junho, recuou para -1,86% em julho e acaiu para -0,47% em agosto.

Em breve avaliação do desempenho do ICMS em agosto, o secretário da Fazenda diz que “apesar dos setores de combustíveis e energia ainda estarem com resultados negativos, o restante da economia teve uma boa performance.Acima de 12 % de crescimento na média para todos os setores com exceção de vestuário que também não bateu 2019”, aponta George Santoro.

Para o secretário da Fazenda, a perspectiva é boa até o final do ano, “mas temos que aguardar ainda o resultado do turismo a partir de outubro”, pondera.