Luciano Barbosa é expulso o MDB; advogado diz que ele segue candidato
   23 de outubro de 2020   │     19:19  │  1

O vice-governador Luciano Barbosa foi expulso do MDB nesta sexta-feira (23), após reunião do Conselho de Ética do MDB Alagoas. A reunião do Conselho aconteceu na sede do partido, na Jatiúca. A decisão foi por cinco votos contra dois.

A dúvida nos meios políticos e jurídicos é se, expulso do partido, Luciano poderá continuar como candidato a prefeito de Arapiraca.

Ontem o candidato do Novo a prefeitura de São Paulo (SP), Filipe Sabará foi expulso do partido, dividindo opiniões sobre a manutenção de sua candidatura, como registrado em alguns veículos de comunicação (veja aqui).

O advogado Fábio Gomes, que representa a coligação de Luciano Barbosa em Arapiraca, diz que “Não muda absolutamente nada!”, acrescentando que “todos os atos praticados pelo MDB Estadual já estão submetidos a análise de legalidade da Justiça Eleitoral. É um ato meramente político!”.

Gomes reforça: “Primeiro, o processo ético tem que ser válido, segundo a Lei 9.504/97, que é a Lei das Eleições, e segundo, a expulsão só produz efeito com o final do processo, desde que seja garantido o contraditório e a ampla defesa, cuja análise compete a Justiça Eleitoral. O rito é muito simples!”

Decisão

Em nota o MDB informa que por 5 votos a 2, a Comissão de Ética do partido de Alagoas “decidiu expulsar de seus quadros o vice-governador Luciano Barbosa, por violações ao Código de Ética e ao Estatuto do partido. A decisão de desfiliar Luciano foi tomada em sessão realizada nesta sexta-feira 23, na sede do partido, em Maceió. O processo foi aberto em reação a atitudes do vice-governador que afrontam orientações políticas das instâncias superiores do partido, os Diretórios Estadual e Nacional.”

A decisão de aplicar a pena de expulsão, a mais severa prevista no Estatuto do MDB, foi tomada, segundo a ata do julgamento, porque a defesa de Luciano Barbosa não apresentou “argumentos que possam justificar as infrações cometidas pelo filiado”. Segundo o relatório, Luciano Barbosa “levantou teses contraditórias apenas para tumultuar o julgamento, como forma de protelar a decisão”.

O MDB reafirmou que “não existe nenhuma discriminação pessoal contra o representado [Luciano Barbosa]” e lembrou que a representação para abertura do processo na Comissão de Ética “é uma prerrogativa prevista no Estatuto e no Código de Ética do MDB, a qual foi exercida pela parte representante”, no caso o Diretório Estadual.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Antonio

    É uma vergonha o povo de Arapiraca eleger esse Luciano Barbosa. Ele e a filha envolvidos em maracutaias. Na verdade o Povo tem o Governo que merece. Hoje em dia o HONESTO é sinônimo de otário. Não tem valor nenhum. Agora o Bandido é a Bola da vez. Que país é esse 🎪🎪🎪🎪🚔🚔🚔

Comments are closed.