JHC quer reduzir gastos, mas secretário nomeia 25 de uma só vez
   20 de fevereiro de 2021   │     23:34  │  5

Na sessão solene de abertura dos trabalhos da Câmara de Vereadores de Maceió, o prefeito JHC (PSB) anunciou que fará uma reforma administrativa. O objetivo é cortar gastos para lidar com as dificuldades financeiras do município – que podem se agravar nos próximos meses.

Como estratégia, o prefeito “segurou” a nomeação de cargos de confiança em várias secretarias. Alguns secretários ainda trabalham com quadro reduzido. Não é o caso da Secretaria Municipal de Governo. Além de ter todos nomeado a maioria dos cargos de confiança da Pasta, a nomeação de 25 Funções Gratificadas, numa só edição do Diário Oficial do Município gerou críticas internas na equipe de JHC.

“A nomeação foi feita em plena sexta-feira de carnaval”, observa um interlocutor próximo do prefeito JHC. “Não fica bem a gestão tá anunciando corte de gastos e necessidade de reforma administrativa, quando o secretário que será responsável pelas negociações com a Câmara de Vereadores dá exemplo contrário”, pondera o interlocutor

O maior teste da gestão de JHC na Câmara de Vereadores de Maceió deve se dar nos próximos dias, quando serão votados os primeiros vetos. Além disso, o prefeito tem pela frente o desafio de aprovar o Orçamento da Prefeitura de Maceió para 2021.

O prefeito também deve encaminhar um projeto de reforma administrativa nos próximos dias, como anunciou a reportagem do Gazetaweb.

Reforma

O prefeito JHC (PSB) anunciou medidas para a contenção de gastos públicos do município de Maceió. Ele voltou a falar da difícil situação financeira que encontrou nos cofres públicos e garantiu que será necessário realizar uma reforma administrativa e fiscal. “Herdamos uma dívida de mais de R$ 330 milhões. Gastávamos mais do que arrecadávamos. Preciso que a casa do povo esteja apoiando os projetos do povo. Estou feliz em participar desse momento histórico, nesse novo momento”, disse JHC durante a sessão da Câmara de Vereadores de Maceió, no dia 18 deste mês.

Quem também confirmou a necessidade de um grande reforma administrativa foi o vice-prefeito Ronaldo Lessa (PDT). Com a experiência de ter governado a cidade e o Estado por dois mandatos, ele reconheceu que algumas estruturas estão comprometendo o funcionamento da gestão. Uma das áreas é a Secretaria de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente.

“Tem coisa na prefeitura que têm que mudar e rápido. Por exemplo, tem coisas da Sedet que não dá para ficar”, enfatizou Ronaldo sem dar maiores detalhes. Nem Lessa, nem JHC deixaram claro se isso significará o surgimento de uma nova secretaria. Entretanto, nos bastidores da Câmara isso chegou a ser especulado.

Como tanto a reforma administrativa e fiscal têm relação direta com a execução de recursos, o orçamento que está sendo concluído em conjunto ainda não foi encaminhado à casa para a sua aprovação. Assim, JHC está administrando com 1/12 avos dos valores aprovados para o último ano da gestão passada.

Veja aqui o Diário Oficial de Maceió 

COMENTÁRIOS
5

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Marcos Maia

    Esse meu sobrenome me envergonha, ver um Maia se fazendo de mártir da honestidade quando na realidade é um trapaceiro. Bom, não queria envolver a família mas ele é igual ao pai, agora tá na onda o irmão e por aí vai.aguarde o que vai sair da Secretaria de Saúde que o tio comanda aqui em Maceió, na verdade não comanda, o Davi que comanda. Voltou aos tempos antigos que tem de deixar um agrado, e bom agrado, se liga JHC se não tiver dentro do esquema.

  2. Antonio Oliveira

    O JHC pintado de bonzinho já ta começando a se descascar. Hj quem manda no governo dele são dois, Francisco Salles e Davi Maia, Maia Sobrinho do secretário de saúde Madero, grave bem este nome que vai dar o que falar mais a frente. O Vereador F. Costa foi até avisado da situação, mas não quis acreditar, o Ver.Siderlane, o líder, essa tá ali por pena do próprio Salles que permitiu que ele fosse. Não tem gabarito para uma liderança, só para ser liderado mesmo. O JHC ta na esperteza de usar as pessoas de bem da gestão passada, promete, não paga e assim economiza, kkkkkk. Menos o Salles que não reza nesta cartilha, como vc disse, o Bloco dos 25 entrou para brincar o carnaval huhahuhauha. Falar em Salles por onde anda o outro Chico que nem aparece nas fotos do prefeito em seu próprio reduto?

  3. Antonio de Holanda Souza Junior

    Realmente a Sedet precisa de uma reformulação, são custos altíssimos na gestão de resíduos da cidade.
    Um projeto de reciclagem e reaproveitamento dos resíduos,com fábrica de plásticos e papelão,no mínimo, gerariam uma receita altíssima, além de gerar empregos e a Prefeitura como ” Geradora” dos resíduos, é quem se beneficiaria com empregos, impostos, receita da comercialização do material e ainda com o aumento da vida útil do Aterro Sanitário.

  4. De Olho Aberto!

    O prefeito JHC se mostra repetitivo em suas declarações, mas não faz com que as coisas mudem em sua gestão a faz exatamente (ou pior) que a gestão de Rui Palmeira.

    No quesito “locação de veículos”, mostrou que devolveu inúmeros veículos, proporcionando uma grande economia para o município, mas na realidade, devolveu numa semana e contratou novos veículos na semana seguinte. E o pior é que devolveu veículos operacionais, àqueles que servem aos órgãos públicos nas diversas demandas do município. Os veículos destinados aos secretários, chefes de gabinetes, diretores, coordenadores e outros comissionados e efetivos privilegiados, continuam com veículo e combustível pago pelo erário, as 24 horas do dia, de domingo a domingo, sem logomarca do município, pra ir aonde quiser e quando quiser.

    São declarações inconsequentes como essa que faz a população desacreditar nas declarações do prefeito JHC, que até agora só disse, mas nada fez para coibir de fato, os gastos na Prefeitura de Maceió.

Comments are closed.