Novo decreto: não tem lockdown, mas deve ter toque de recolher
   3 de março de 2021   │     13:25  │  0

A reunião entre governo do Estado e setor produtivo, realizada ontem, como antecipado aqui, serviu para discutir medidas que poderão – e deverão – ser anunciadas ainda esta semana para o enfrentamento da pandemia. Por enquanto não fecha nada do que está aberto.

Pelo que consegui apurar, haverá mudanças no distanciamento social controlado para tentar diminuir aglomerações. Uma das medidas mais duras deve ser a proibição total de eventos, mas existe a opção de autorizar reuniões menores – hoje pode até 300 pessoas.

Tudo aponta para a adoção do “toque de recolher”, com probabilidade de reedição do decreto que estabeleceu, no final de 2020, o funcionamento de bares e restaurantes diariamente entre as 6h até 00h do dia subsequente. Não existe, porém, indicativo da proibição de música ao vivo.

O que os representantes do setor produtivo pediram ao governo é que as medidas sejam adotadas em doses homeopáticas – sob o argumento de que se a dose for muito forte pode mantar o paciente. A proposta é ir adotando, paulatinamente, as restrições de circulação de pessoas e ajustando com a capacidade de atendimento da rede hospitalar.

A reunião, tratada como “fórum de alinhamento das ações de combate à Covid-19 no estado, contou com participação dos secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, do Gabinete Civil, Fábio Farias e da Saúde, Alexandre Ayres, representantes do setor produtivo alagoano e da Prefeitura de Maceió. O encontro aconteceu no Palácio República dos Palmares com objetivo de ouvir a demanda dos segmentos e manter diálogo próximo entre as áreas pública e privada.

“Temos agido, com racionalidade e equilíbrio entre a preservação da vida e da atividade econômica, sobretudo, sob a ótica da geração de emprego e renda para o nosso povo. Alagoas tem se destacado como um dos poucos estados do país a manter diálogo direto entre o poder público e o setor produtivo e é muito importante que a população saiba que estamos atentos à demanda de todo segmento”, ressalta Rafael Brito.

A reunião contou com a participação de representantes da Abrasel/AL, ABIH/AL, Fecomércio/AL e da Associação Comercial de Maceió e teve caráter não deliberativo, ou seja, nenhum nova medida em relação ao Plano de Distanciamento Social Controlado foi definida.

Decreto

O que saiu do fórum são as sugestões que serão transformadas em novo decreto de distanciamento social controlado pelo governador Renan Filho. Tudo aponta para a publicação das novas medidas na próxima sexta-feira. A conferir.

Pode ficar pior

Medidas mais duras não estão descartadas. Tudo depende da evolução dos novos casos nos próximos dias e de reunião que será feita nesta quarta-feira (3) entre o secretário de Saúde de Alagoas, Alexandre Ayres e o Ministério Público do Estado. A prefeitura de Maceió também deve mandar representantes para o encontro.

O MP/AL, pelo que se sabe, quer prefeitura e Estado endureçam as medidas de distanciamento social controlado. JHC e Renan Filho relutam em fechar novamente setores da economia. Mas devem apertar a fiscalização. Hoje as equipes da prefeitura vão fiscalizar bares e restaurantes. E se for preciso vão fechar os estabelecimentos que estão descumprindo as regras.