Ifood e Uber reduzem taxas restaurantes após apelo de Alagoas
   25 de março de 2021   │     22:36  │  0

A sugestão veio dos secretários de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito e da Fazenda, George Santoro. Em carta aberta (publicada aqui) pediram que os aplicativos também deem sua “cota de sacrifício” para ajudar setores que estão em dificuldades por conta de restrições adotadas no enfrentamento da pandemia.

Depois que o governo lançou um pacote de R$ 100 milhões para ajudar os setores mais afetados em Alagoas – bares, restaurantes e turismo – os secretários sugeriram que os aplicativos reduzissem temporariamente as taxas cobradas das empresas ou prestadores de serviços.

A ideia é ajudar essas empresas que enfrentam perdas com as restrições do plano de distanciamento social controlado.

Motivados ou não pelo apelo alagoano, representantes de Ifood, Rappi e Uber entre outros confirmaram em reunião com os dois secretários que estas empresas reduziram as taxas cobras de seus clientes. Um dos aplicativos reduziu taxas de 27% para 18%.

A reunião foi realizada nessa quarta-feira (24) e como manda a pandemia, de forma remota.

Existe ainda possibilidade de novos benefícios, ainda que temporários, para setores como bares e restaurantes. Toda a ajuda é bem-vinda, ainda mais agora, que o segmento depende principalmente do delivery.

Secretários Rafael Brito e George Santoro participam de reunião com representantes de aplicativos

A reunião

Veja mais detalhes da reunião em texto da assessoria da Sedetur-AL

Sefaz e Sedetur se reúnem com empresas de aplicativos para discutir medidas de auxílio ao setor de bares e restaurantes

As Secretarias de Estado da Fazenda (Sefaz) e do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas (Sedetur) se reuniram, nesta quarta-feira (24), com representantes das empresas de aplicativos que atendem o setor de bares e restaurantes de Alagoas. Com base na Carta Conjunta Nº 001/2021 enviada pelos órgãos semana passada, o encontro teve como objetivo discutir medidas de redução de taxas das plataformas e formas de auxiliar o segmento durante o período pandêmico.

A reunião contou com a presença do secretário da Fazenda, George Santoro, do secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, do presidente da Abrasel-AL, Thiago Falcão, e dos representantes das empresas e associação dos aplicativos com prestação de serviços em delivery, encomendas e locomoção de passageiros, como Ifood, 99 e Uber.

O secretário da Fazenda, George Santoro, destacou o esforço do Governo do Estado com o auxílio econômico para ajudar o segmento de bares e restaurantes – setor que cresceu muito durante a pandemia, por meio do delivery. Na oportunidade, reforçou a importância de auxiliar o segmento para manter seu funcionamento e contribuir para a economia do Estado. Após a reunião, as empresas ficaram de analisar os pleitos apresentados pelo segmento e Estado.

“A reunião foi muito produtiva, as empresas já estão estudando medidas de auxílio e já temos uma das associadas que já disponibilizou uma redução de tarifas considerável e outra que também já está fechando esse pacote. Acreditamos que todas as demais virão em seguida, seguindo o exemplo. Esperamos que esse esforço coordenado proporcione melhorias e torne menos dura a vida desse segmento muito afetado pela pandemia“, ressaltou Santoro.

O presidente da Abrasel-AL, Thiago Falcão, que apresentou os problemas que mais afligiam o setor de bares e restaurantes, destacou a importância do encontro na viabilização de uma maior proximidade entre os aplicativos e o segmento. “Foi um momento importante para ajudar o setor que vem sofrendo perdas sem tamanho, vimos que dois aplicativos já tinham feito um movimento positivo nesse sentido, de baixar taxas e ajudar os empresários. A reunião serviu para pedirmos a prorrogação dos benefícios e também pontuar pautas importantes para os empresários”, enfatizou Falcão.

Já o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, destacou a importância desse ambiente de diálogo aberto, conjunto e próximo a todo segmento produtivo, empreendendo esforços conjuntos.

“O fórum de discussão foi um passo decisivo para que nesse momento saiam grandes soluções, principalmente, para os empreendedores e trabalhadores que estão sendo mais economicamente afetados pela crise da COVID-19 no mundo, a exemplo dos profissionais cadastrados nos aplicativos de delivery e viagens, que atualmente usam essas plataformas como único meio de sustento e renda para suas famílias”, ressaltou Brito.