Governo “perde” mais uma e Renan anuncia plano de trabalho da CPI da Pandemia
   29 de abril de 2021   │     22:09  │  0

O governo continua, através de seus aliados, tirar o senador Renan Calheiros (MDB-AL) da CPI da Covid-19. E mais uma tentativa foi frustrada. O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou nesta quinta-feira (29) uma ação de senadores governistas que tentavam impedir o senador Renan Calheiros (MDB-AL) de integrar a Comissão Parlamentar de Inquérito.

A CPI da Covid foi instalada na terça-feira (27). Calheiros foi indicado relator pelo presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM).

Os senadores Jorginho Mello (PL-SC), Marcos Rogério (DEM-RO) e Eduardo Girão (Podemos-CE) acionaram o STF sob argumento de que Calheiros não pode participar da CPI porque é pai do governador de Alagoas, Renan Filho (MDB-AL). A comissão é responsável por apurar ações e omissões do governo federal e também eventuais desvios de verbas federais enviadas aos estados para o enfrentamento da pandemia.

Depois da decisão de Lewandowski, Renan Calheiros anunciou o plano de trabalho da CPI ao lado do vice-presidente da Comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

O ritmo de trabalho promete ser intenso. A CPI da Pandemia fará reuniões às terças, quartas e quintas, disse Renan, ao apresentar seu plano de trabalho.

Segundo Renan, não será necessária a aprovação do plano pela comissão, pois o documento apenas sistematiza o roteiro dos trabalhos, com referência às fases de investigação.
“É evidente que esse plano de trabalho não vai limitar a investigação. A investigação é que vai indicar os limites. À medida que caminhamos, teremos as bases da investigação — declarou Renan Calheiros.”

Saiba mais

Plano de trabalho prevê reuniões da CPI da Pandemia três vezes por semana