A ‘matemática’ de Renan Filho para 22: três cenários, duas opções, uma escolha
   31 de julho de 2021   │     15:56  │  3

Renan Filho nunca escondeu de ninguém a predileção por números, planilhas, gráficos e cenários baseados em probabilidades, estatísticas e coisas do tipo.

O gosto pela, digamos, “matemática” sempre foi uma marca do governador, que é economista e tem especializações na área.

As pesquisas eleitorais sempre foram encaradas por RF como informação estratégica. É por isso que ele raramente divulga as sondagens que manda fazer. Tudo baseado no conceito de que informação é poder.

Faz sentido. Quem tem informação pode traçar as melhores estratégias, corrigir falhas, se antecipar aos adversários (se eles não tiverem acesso a mesma fonte de dados, claro).

Mas nem toda a habilidade “matemática” permitiu que Renan Filho – ou qualquer outro – previsse que ele enfrentaria um cenário inesperado na perna final de sua gestão.

Tudo foi traçado para que o grupo liderado por RF elegesse o sucessor – fosse ele ou não candidato em 2022. De fato esse seria um cenário possível e provável se Luciano Barbosa tivesse continuado no governo. Não continuou.

Sem vice-governador, Renan Filho tem um dilema matemático pela frente. Na leitura de hoje, são três cenários, duas opções, uma escolha.

Explico. Os cenários são simples. No cenário um, Renan Filho fica no governo. No dois, sai do governo (se desincompatibiliza) e apoia um candidato a governador da Assembleia Legislativa e/ou de Arthur Lira. No três, sai e lança candidato a governador.

As duas opções são ainda mais simples. Ter ou não um candidato ao governo para chamar de seu. E, claro, só escolha: sair ou ficar no governo.

Nesse momento, Renan Filho, tenta “decifrar” mais do que números, o “sentimento” das ruas. Mesmo que vá disputar o Senado ou a vice-presidência (como se ventila nos bastidores e na mídia), o governador quer – e precisa – fazer o sucessor.

O próximo governador deve ser, na visão que predomina no grupo de Renan Filho, alguém “amigo” e que dê continuidade a gestão.

E nada impede que seja um nome da Assembleia Legislativa – desde que tenha, claro, viabilidade eleitoral. Em outras palavras, tem que ser um candidato com perfil capaz de conquistar o voto popular – decisivo em qualquer eleição majoritária em Alagoas.

Sair ou ficar. Ter ou não um nome seu para o governo. Essas são questões que vão muito além da “matemática”. E por isso, por mais que deseje ser candidato em 22, Renan Filho só deve tomar a decisão no último minuto. Tic, tac, tic, tac….

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Reinaldo tigre

    Esse tem que sair direto pra cadeia. Ele, pai, tio, e todo esse coloio que bota o Brasil pra tras

  2. Rodrigo

    Realmente pensemos um pouco, se pesquisa traduz o pensamento de um grupo em função de uma pequena amostra, por determinar perfis em função de sexo, cor, fenda e escolaridade. ENTÃO todos que tem estes perfis idênticos pensam uniformemente? Isso é totalmente errado. Agora manipular os que não possuem noção alguma da fantasia e condução mental a que vivem e pedir para uma criança ficar o dia todo olhando para uma imagem e no outro dia pedir para ela fazer um desenho, imagine qual será o observado. Qualquer ser pensante irá acertar, o mesmo servi para estas pesquisas e as desinformados que estamos recebendo diariamente. Quem tem olhos vejam e quem possui ouvidos ouçam que verdade será dita por mais que a tentem transformar em uma conspiração de lunáticos.

  3. Há Lagoas

    Entregará um Estado com muitas obras estruturantes – não se pode negar – e com uma dívida muito maior do que quando herdou do letárgico padrinho, Téo Vilela.
    O próximo governante terá a tarefa hercúlea de honrar os compromissos financeiros, mas sofrerá um desgaste monumental, por não ter condições de executar nenhuma obra, por mais incipiente que seja. Ou seja, o próximo governador será colapsado por tudo que Renan – o filho – fez e entregou!

Comments are closed.