Com ajuda da chuva, safra de cana pode chegar a 19 mi de toneladas em AL
   11 de setembro de 2021   │     18:37  │  0

É consenso no setor. A safra de cana-de-açúcar 21/22 será maior em Alagoas que a anterior. Produtores independentes, usinas e técnicos apontam para uma produção superior a 18 milhões de toneladas. E se a chuva “ajudar”, pode chegar a 19 milhões de toneladas.

As principais estimativas apontam para uma colheita de 18,5 milhões a 18,8 milhões, podendo ser um pouco maior se o verão for chuvoso no Estado.

Estamos falando de um crescimento no volume da produção agrícola entre 8,6% e 11,5%.

Será, no caso de Alagoas, uma safra de recuperação. O Estado tinha média de 25 milhões de toneladas por ciclo e caiu a 13,7 milhões há apenas 5 anos.

A atual safra, iniciada em agosto, conta com 15 usinas em operação no Estado e mais de 5 mil fornecedores de cana, que devem produzir de 6,7 milhões de toneladas no ciclo atual.

Versão oficial

Veja texto produzido pela assessoria do Sindaçúcar-AL

Clima favorável pode ampliar produção de cana na safra 21/22

Com a safra 21/22 em andamento desde agosto passado, tendo a expectativa de moer mais de 18 milhões de toneladas de cana, o assessor Técnico do Sindaçúcar-AL, Cândido Carnaúba, afirmou a produção do setor poderá ser ainda maior caso o clima seja favorável a lavoura da cana.

“O primeiro levantamento apontou 18,5 milhões de toneladas. Mas, acredito que se a gente tiver um verão um pouco mais chuvoso, o setor pode chegar a 19 milhões de toneladas processadas. Contudo, se houver um verão muito seco, isso irá impactar na cana que será colhida a partir de dezembro”, declarou Carnaúba.

De acordo com o técnico, como agosto foi considerado um mês com bons índices pluviométricos, há uma tendência de que o solo tenha obtido uma maior saturação de água. “E essa saturação pode chegar até dezembro, beneficiando diretamente o canavial”, completou.

Carnaúba afirmou ainda que nos três últimos ciclos, Alagoas registrou uma melhoria na safra tanto na produção, quanto na parte de rentabilidade.

“Com isso, vem ocorrendo uma recuperação das perdas econômicas. Esse cenário proporciona um maior investimento em irrigação, adubação e plantio. Nas últimas duas safras o plantio aumento de forma substancial. Canavial novo, resulta em maior produção de cana. Muitas usinas começaram a reinvestir em irrigação e na parte industrial. Tudo isso, tende a melhorar a produção como um todo”, finalizou o assessor Técnico do Sindaçúcar-AL.