Grupo de MV vai comandar “maior partido” do Brasil em AL
   22 de setembro de 2021   │     20:02  │  0

No segundo mandato como presidente da Assembleia Legislativa do Estado, o deputado estadual Marcelo Victor conseguiu imprimir uma sólida liderança no parlamento. Tem a maioria da Casa – e com folga.

“Em qualquer situação, será acompanhado no mínimo por 22 dos 27 deputados estaduais”, aponta um importante interlocutor.

MV também estabeleceu boa relação com outros poderes. Executivo e Judiciário não tem o que reclamar do presidente da ALE.

Agora, Marcelo Victor está prestes dar um grande passo – que pode consolidar um projeto majoritário do seu grupo para 2022. Deve se tornar no dirigente do maior partido do Brasil em Alagoas.

Explico. Desde o início de 2020, dois grandes partidos estão sob a influência do deputado no Estado: DEM e PSL. A contrapartida é ajudar a eleger um federal – tarefa factível para o parlamentar na situação de hoje.

Coincidência ou não, DEM e PSL devem anunciar a fusão até o final do ano. Com isso, o novo partido passará a ter uma bancada de até 82 deputados (54 do PLS e 28 do DEM). E o que isso tem a ver com majoritária? Tempo de TV, fundo partidário e fundo eleitoral.

Quanto mais representantes uma legenda tem na Câmara dos Deputados, mais tempo terá na TV. O novo partido terá sozinho, segundo estimativas, quase dois minutos de TV em 22 na eleição de governador. Isso vale muito em qualquer eleição.

A fusão do DEM com o PSL (veja texto abaixo) deve ser confirmada já em outubro na convenção nacional do Democratas. O projeto é arrojado no campo nacional e pode (e deve) ter influência na eleição presidencial e nas estaduais.

Por aqui, Marcelo Victor trabalha para fazer o governador tampão. O eleito na ALE, seria candidato a reeleição. Até o momento tudo parece correr como o esperado para o MV, até mesmo com o “inesperado” episódio da fusão partidária.

Fusão DEM e PSL

(com informações do G1)

A Comissão Executiva Nacional do partido DEM aprovou na terça-feira (21) a realização de uma convenção nacional do partido, em outubro, para confirmar a fusão da legenda com o PSL.

Dentro do DEM, o clima é “favorável” à fusão com a sigla. “Hoje, à unanimidade, a Comissão Executiva Nacional aprovou a autorização para que seja convocada uma convenção nacional do partido, provavelmente, no dia 5 de outubro, e aí nessa oportunidade os convencionais vão apreciar o tema e confirmar o processo de fusão”, afirmou ACM Neto.

Leia aqui na íntegra: Cúpula do DEM aprova convenção nacional em outubro para confirmar fusão com PSL