ANAC prejudica turismo em AL: “solicito que a bancada federal intervenha”
   17 de outubro de 2021   │     17:22  │  0

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) proibiu a ampliação de voos semanais para o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, em Maceió. A medida, adotada por inconformidades da administradora do equipamento, a Aena, pode se transformar numa “punição” para um dos mais importantes setores da economia de Alagoas.

O secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Marcius Beltrão, foi as redes sociais, nesse sábado (16/10) pedir que a ANAC reveja a decisão. Ele quer que o prazo para que a Aena faça as adequações necessárias seja ampliado.

Para o secretário, a decisão da ANAC prejudica as estratégias de retomada do turismo e da economia Alagoas.

“Fomos surpreendidos nesta semana com a notícia de proibição da ANAC da ampliação de voos. Situação que compromete todo o planejamento, investimentos e expectativas para temporada 2021-2022.”, afirmou, acrescentando que “o impedimento de novos voos para o estado compromete o turismo e a economia alagoana como um todo”.

O secretário fez um apelo para que deputados federais e senadores de Alagoas atuem para mitigar as perdas: “Venho solicitar a bancada federal que intervenha e solicite da ANAC uma ampliação de prazos para que a AENA Brasil, administradora do Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, faça as adequações necessárias”.

Entenda o caso

O Gazetaweb revelou, em reportagem deste sábado (17/10) que Os aeroportos internacionais Zumbi dos Palmares, de Maceió (AL), e Gilberto Freyre/Guararapes, de Recife (PE), ambos administrados em regime de concessão pela Aena Brasil, estão proibidos de receber novas ampliações de voos comerciais em suas operações.

A decisão foi publicada pela ANAC no Diário Oficial da União de 15 de outubro de 2021 e determina a proibição de aumento de frequência semanal das operações em relação ao total de frequências semanais registrados em 15 de outubro de 2021, conforme dados dos serviços de transporte aéreo público.

A ANAC informa que a medida aplicada tem caráter provisório, sem prazo determinado, e será mantida até que o operador do aeródromo regularizar sua situação quanto aos compromissos assumidos no que concernem à manutenção aeroportuária contempladas no processo de certificação operacional do aeródromo.

Embora a agência não tenha especificado quais problemas levaram à limitação dos aeroportos de Maceió e Recife, a concessionária descreve que se tratam principalmente de serviços de pintura da sinalização horizontal, conforme nota a seguir enviada ao AEROIN:

“A Aena Brasil informa que, em inspeção regular, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) requereu uma série de ações, principalmente relativas à revitalização da pintura de sinalização horizontal dos Aeroportos de Maceió e do Recife. Essa solicitação não afeta em nada a movimentação nem a segurança dos aeroportos, que seguem operando normalmente com todos os pousos e decolagens regulares. Também não foi registrada nenhuma queixa de companhias aéreas. A revitalização da pintura já foi começada pela Aena Brasil nos dois aeroportos, e os trabalhos devem ser concluídos na próxima semana, quando deverão ser suspensas as portarias provisórias.”