O “troco” de AA: deputados pedem saída de Roberto Jefferson da presidência do PTB
   22 de outubro de 2021   │     23:29  │  0

O deputado estadual Antônio Albuquerque foi afastado da direção estadual do PTB em Alagoas em junho num ato, digamos, “intempestivo” de Roberto Jefferson.

Agora, o parlamentar dá o “troco” ao articular, junto com um grupo de deputados federais, o afastamento de toda direção nacional do partido – a começar por Jefferson.

Presidente nacional do partido, “Bob Jef” sempre foi chegado a atos exagerados e nos últimos meses elevou a temperatura. Agora, além da prisão por determinação do ministro Alexandre Morais (STF), pode perder o comando do PTB.

Mesmo preso, Jefferson segue mandando e desmandando no partido. Mas por pouco tempo, se depender de AA. O deputado estadual ingressou na Justiça Federal (veja abaixo) pedindo o afastamento de “Bob” da direção do PTB.

Além dele, Nivaldo Albuquerque, seu filho e líder do partido na Câmara dos Deputados e o outros quatro deputados federais também assina a ação. Um deles é Wilson Santiago (PTB-PB), que também foi afastado do comando da legenda em seu Estado depois de desagradar Roberto Jefferson nas votações em plenário.

Pedido

Cinco deputados federais e um deputado estadual do PTB ingressaram com ação no Tribunal de Justiça do Distrito Federal pedindo o afastamento de Roberto Jefferson, da presidência do partido.

Também pedem que toda a direção nacional da sigla seja afastrada. Quem está no comando da legenda , com a prisão de Jefferson, é a vice-presidente Graciela Niemov.

Os deputados federais Wilson Santiago (PTB-PB), Nivaldo Albuquerque (PTB-AL), Pedro Geromel (PTB-CE), Emanuel Pinheiro (PTB-MT) e José Costa (PTB-PA), além do estadual Antônio Albuquerque (PTB-AL) assinam ação.

Entre os motivos para o pedido de afastamento, são citados os ataques do Jefferson ao Supremo Tribunal Federal e o suposto uso indevido do fundo partidário. O presidente do PTB está preso em Bangu 8, no Rio de Janeiro, desde agosto, após ter seu pedido de prisão autorizado por Alexandre de Moraes.

No pedido, os deputados acusam Jefferson de ter transformado a sigla em um “feudo pessoal” e fazer uso de canais oficiais de comunicação do partido como “instrumento de agressão, de propagação de discurso de ódio e de ruptura ao Estado Democrático de Direito”.

Em seguida, eles pedem que a Justiça afaste com urgência o ex-deputado da chefia da sigla, tendo em vista o “indubitável perigo de dano que agravaria ainda mais os prejuízos irreparáveis já sofridos pelo partido”.

Conspiração

A direção nacional do partido reagiu a ação impetrada pelos deputados filiados ao PTB, que pedem o imediato afastamento de Roberto Jefferson do partido, sob a alegação de que ele usou recursos do fundo partidário de forma indevida, e pelas ofensas que ele fez contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

“Não há qualquer cabimento esta nova ação que o grupo conspirador pretende levar à frente. Temos certeza que o Judiciário não dará voz a quem pretende derrubar no tapetão a Executiva Nacional eleita democraticamente”, diz em nota a direção do partido.