“Não sou, nesse momento, pré-candidata majoritária”, diz deputada
   26 de outubro de 2021   │     23:00  │  1

Não é difícil desvendar a autora da frase. A deputada estadual Jó Pereira é, no momento, a única parlamentar de Alagoas que tem o nome especulado como pré-candidata ao governo ou a vice.

E ela fez questão de reforçar, em discurso na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (26/10) que não é, “no momento” (note bem a ressalva) pré-candidata em nenhuma chapa majoritária.

“Não sou pré-candidata como anunciam diversas matérias em jornais, blogs e rádios, seja como governadora ou vice-governadora, desse ou daquele ou daquele grupo político compondo chapa. Eu Afirmo que não fui consultada direta ou indiretamente, como também não me reuni nesse sentido de tal decisão, como colocam tais matérias de cenários consolidados”.

As especulações ficam por conta de políticos, jornalistas e outros que enxergam nela condições para tal e podem, ser, como disse a parlamentar “possivelmente é fruto de uma ánalise do meu trabalho diário em defesa das alagoanas e dos alagoanos”.

A ressalva de Jó veio em meio a um discurso que fez para anunciar o voto “sim” no projeto que reformula o projeto do PCCS da Educação. Embora tenha reclamado da “pressa” na tramitação da matéria e da falta de informações como o impacto financeiro, a deputada avisou que votará a favor do projeto para atender uma antiga demanda dos professores. “Antes tarde do que nunca”, apontou.

Jo Pereira discursa no plenário da ALE (Foto: ascom)

Versão oficial

Veja texto a assessoria da deputada

Ao defender PCCS da Educação, Jó aponta ausência de dados e cobra projeto de futuro

Ao defender a aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) dos servidores da Educação, em tramitação na Casa de Tavares Bastos, a deputada estadual Jó Pereira apontou, mais uma vez, a ausência de informações e do impacto orçamentário no projeto encaminhado à Assembleia Legislativa pelo Poder Executivo. Na sessão desta terça-feira (26), a parlamentar também falou sobre o pleito eleitoral de 2022 e cobrou planejamento para o futuro de Alagoas.

“Eu voto a favor do PCCS, pois desde o primeiro mês que exerço um mandato eletivo, desde o primeiro mandato, já tenho a Educação como prioridade estratégica para este estado. E vocês e suas representações, sejam sindicais ou de outras lideranças da área, sabem bem disso, pois inúmeras vezes dialogamos em nosso gabinete e agimos em várias frentes em busca de melhorias e avanços para categoria e para a educação pública de Alagoas. Foram audiências públicas, cobranças, mobilizações e muito, muito trabalho e diálogo. Tudo isso com um só propósito, de fazer Alagoas enfrentar o seu maior desafio, melhorar consistentemente a sua educação. E sempre vou lutar para denunciar e evitar uma mudança ‘panfletaria’, ilusória, apenas de retórica e de belas propagandas”, destacou.

A parlamentar lembrou ainda que o PCCS chega tarde à Casa de Tavares Bastos, “o que nos permite pensar em uma falta de prioridade na política de valorização dos servidores da Educação. A matéria chega tarde, mas vem revestida de urgência, de um imediatismo, como se fosse fazer justiça com os profissionais da Educação no pagamento do mês de outubro de 2021, quando ouvimos ser dito, em 2015, que uma das prioridades de Alagoas seria a valorização dos professores e da Educação como instrumento de transformação”.

A deputada reforçou a preocupação pela ausência de diagnóstico de impacto orçamentário futuro na análise do PCCS da Educação, plano justo e necessário, assim como são justos e necessários planos para diversos servidores; e cobrou também o envio de PCCS relativos a outras áreas, como saúde, Uncisal e assistência social, defendidos historicamente por ela: “Vale lembrar que nesse Governo os servidores não tiveram aumento salarial, quando muito, reajustes que também chegaram a essa Casa sem as informações de impacto financeiro”.

Jó pontuou também que a ausência de dados, informações e estudos de impacto financeiro no orçamento do Estado para os próximos anos já foi motivo de várias denúncias levadas por ela ao plenário; frisou o avanço da Casa em termos de independência e agradeceu o apoio dos colegas parlamentares a seus projetos e outras matérias importantes para a sociedade: “Essa Casa tem avançado, e eu espero que continue avançando cada vez mais, como casa legislativa, casa do povo e poder independente”.

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Anderson

    O que acho mais interessante nesses deputados “defensores” da educação é justamente isso: Não fazem nada o tempo todo, aí, quando surge uma pauta como o PCCs todo mundo que ser o “pai da criança”. Quer defender mesmo senhora deputada? Então olhe os percentuais de aplicação na tabela e veja o desmantelamento que o governo está fazendo com os administrativos. Quer ajudar de verdade o pessoal da educação? Pressione o governo com os seus pares para melhorar isso. Agora falam em “profissionais da educação”. Falácia. Parece até que a educação só é feita por professores. Desmantelam a carreira administrativa com percentuais ridículos, não fazem concurso para a área administrativa – o último tem 20 anos. E ainda dizem que “SOMOS TODOS PELA EDUCAÇÃO” kkkkkkkkkkkkkkk. Conversa para inglês ver. Infezlimente.

Comments are closed.