“Um dos maiores do Brasil”: Rodrigo Cunha aumenta em 62% gastos da cota parlamentar
   19 de novembro de 2021   │     18:39  │  1

O senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL) aumentou consideravelmente os gastos da cota parlamentar este ano.

De acordo com o portal da transparência do Senado, o gabinete do senador registrou até essa quinta-feira (18/11) R$ 382,1 mil com indenização de despesas na atividade parlamentar.

Os maiores gastos até o momento foram registrados com “Contratação de serviços de apoio ao parlamentar (R$ 192.478,88)” e “Passagens aéreas, aquáticas e terrestres nacionais (R$ 84.201,02).

Em relação a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar dos Senadores (Ceaps) utilizada pelo gabinete do senador em 2020, que chegaram a R$ 235,05 mil, as despesas aumentaram 62,5% até agora.

O gabinete do senador já usou mais de 90% de toda a cota disponível. O valor da Ceaps é de R$ 35.056,20 por mês ou de R$ 420.674,40 por ano.

O senador Rodrigo Cunha é, assim, no momento, “um dos maiores do Brasil” nos gastos da Ceaps este ano. Para se ter ideia, dos 27 senadores do Nordeste, apenas dois registraram despesas maiores em 2021 (Eliziane Gama, do Maranhão e Rogério Carvalho, de Sergipe).

Defesa prévia

Apesar do aumento de despesas registradas no portal da transparência do Senado (faça aqui sua pesquisa), a assessoria do senador fez chegar a alguns sites e perfis do Instagram nota em que registra que “Rodrigo Cunha economiza mais de R$ 1,1 milhão em recursos destinados aos gabinetes dos senadores”.

O texto foi distribuído após questionamentos feitos por mim ao senador e a sua assessoria – até o momento sem respostas.

Na nota, a assessoria informa que além de “de ter rejeitado o uso do famigerado ‘auxílio paletó’ no valor de R$ 33 mil e também de ter se negado a utilizar quaisquer verbas para auxílio-moradia em sua permanência em Brasília, o senador Rodrigo Cunha (PSDB) já garantiu uma economia de quase R$ 1,1 milhão dos recursos destinados ao funcionamento dos gabinetes dos senadores”.

A assessoria não informa, por exemplo, que o senador ocupa imóvel funcional – o que por si só impede o acesso a auxílio-moradia.

A assessoria informa, ainda, que “a economia de verbas promovida pelo senador alagoano ocorreu na utilização da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar dos Senadores (Ceaps) e na contratação de servidores para o seu gabinete”. Os números, no entanto, mostram um aumento expressivo de despesas da Ceaps.

Faça sua leitura

Despesa com atividade parlamentar não é ilegal, nem imoral. Quando os recursos são bem aplicados, quem ganha é o cidadão. O senador deve continuar zelando pela transparência – uma de suas bandeiras. Mas não é preciso se preocupar se gastou mais ou menos com pessoal ou com indenização de despesas com a atividade parlamentar. O que vale é se o recurso é aplicado de forma eficiente, em defesa do cidadão. Essa é minha leitura. Qual a sua?

Faça sua pesquisa aqui

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Wilson

    O arapiraquense Rodrigo Cunha, eleito pelos alagoanos para representá-los no Senado Federal, sumiu de cena logo após a vitória nas urnas. Rodrigo Cunha que tanto criticava os gastos públicos, tem gastado com força as verbas públicas destinados ao seu gabinete parlamentar. Não é o meu caso, mas deve ter muitos eleitores alagoanos arrependido de ter votado em Rodrigo Cunha. Outro que anda mais perdido do que cego em tiroteio é o prefeito JHC, principalmente nas Secretarias comandadas pelo vice-prefeito Ronaldo Lessa, onde a farra com o dinheiro público é sem limites, mas destinado à um pequeno grupo.

Comments are closed.