Vídeo: George Santoro explica (quase) tudo sobre a concessão do saneamento em Alagoas
   30 de novembro de 2021   │     9:23  │  1

O secretário da Fazenda, em entrevista exclusiva ao blog do Edivaldo Junior, fala sobre concessão do saneamento da Grande Maceió, hoje operado pela BRK.

George Santoro também antecipa como deve funcionar o sistema de água e esgoto nas demais regiões de Alagoas após os leilões para concessão dos blocos B e C, previstos para o dia 13 de dezembro de 2021.

Na entrevista o secretário explica tudo – ou quase. Falamos basicamente das questões técnicas, deixando de lado as disputas políticas e jurídicas que ajudam a esquentar o noticiário.

Santoro avalia que as cidades que ficaram fora dos novos leilões devem enfrentar dificuldades para cumprir as metas do marco legal do saneamento e revela que a segunda maior cidade de Alagoas, Arapiraca, terá que encontrar uma fórmula para manter o abastecimento de água a partir do início de 2022.

Atualmente, a água de Arapiraca é abastecida por uma PPP e distribuída pela Casal. Segundo o secretário, é a água mais cara do Brasil.

Como Arapiraca vai lidar com o abastecimento a partir do fim do contrato com a Casal, que pode ocorrer ao final de 2021? Uma das possibilidades é pagar dívida de mais de R$ 1 bilhão que o Estado tem com a PPP.

Na entrevista, o secretário dá detalhes técnicos e fala sobre novos investimentos no setor. A expectativa é que em breve o alagoano poderá tomar a água direto da torneira, tal e qual os americanos, sem risco de contaminação.

Na entrevista de George Santoro fala também dos problemas técnicos e divergências políticas que permeiam a disputa pelo destino dos R$ 2 bilhões pagos pela BRK no primeiro leilão para concessão dos serviços de saneamento de Alagoas – um dos maiores do Brasil.

Veja o vídeo

COMENTÁRIOS
1

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Interiorano

    O fato é que a CASAL era uma empresa viável financeiramente! Era uma empresa que não dependia de um tostão do Governo Estadual! E aí, inventaram uma tal de Região Metropolitana (que de metropolitana não têm nada e venderam até o que não era (Os SAAE´S) do Estado! Vale ressaltar que a CASAL trata a água antes de distribuir e não há problema algum em se beber água diretamente da torneira e sem contaminação! Pode ocorrer contaminação, se ocorrer algum problema na tubulação, e ai, nesse caso, tanto faz a água ser distribuída pela CASAL ou, pela BRK Ambiental! Secretário, não é preciso ser americano para beber água na torneira, sem que a mesma seja contaminada!

Comments are closed.