“Moro robô” será desativado por seus “donos” nos EUA
   20 de janeiro de 2022   │     13:08  │  2

Como seria o Brasil de hoje sem sem a interferência do então juiz Sérgio Moro, lá atrás, quando ele,a partir da lava-jato, interferiu diretamente na política brasileira e no destino do país.

Existem várias teorias sobre o papel exercido por Moro. Há até quem acredite que ele é um herói,   um paladino da justiça atuando contra corrupção.

A toMoro isso e sua tropa, no entanto, ingressou na política, revelando que eles queriam muito mais do que.apenas fazer justiça.

Além dos interesses e ambições pessoais, há quem exergue Moro como um instrumento a serviço  de um projeto internacional de interferência explícita na política brasileira.

Esse é o caso dos enador Renan Calheiros, que voltou a utilizar o Twitter para cutucar o pré-candidato a presidente pelo Podemos, Sérgio Moro.  Para ele, o ex-juiz é manipulado pelos EUA, uma espécie de robô pode ser desativado. “Um robô de primeira geração que não passou por adaptações”.

Calheiros avalia que o ex-juiz é um projeto da CIA, oco e sem emoção, criado para destruir a Petrobras e desmoralizar a política brasileira.

“Sergio Moro é um robô de primeira geração, sem capacidade de aprender. Foi criado para a Lava Jato e não passou por adaptações para nenhuma nova função. Além disso, não tem sentimento nem emoção, é oco. Qualquer dia será desativado por seus donos nos EUA porque ficou imprestável”, escreveu Calheiros.

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Pedro Filho

    Só a mente de um senador com 11 indiciamentos por corrupção e lavagem de dinheiro poderia pensar tamanha asneira. Ele quer é desviar a atenção para que esqueçam que ele é corrupto. E quem desmoraliza a política brasileira é ele, ao ter seus processos e indiciamentos “esquecidos” estranhamente pelo esse tê efe. Tal figura não deveria ter destaque em blogues.

  2. Quem sabe um dia o povo acorda.

    O senhor, Edivaldo Junior, crê neste tipo de alucinação? O senhor acha que existe mesmo a dicotomia entre direita e esquerda? Opressores e oprimidos? Maus e bons? De que lado está o bem, e como se descobrir o mal? Quase a totalidade se engana com esta maneira de pensar. Então pergunto, quando o bem esteve no poder neste País? O senhor pode me responder. Desde já agradeço a atenção.

Comments are closed.