O fortalecimento do cooperativismo em Alagoas passa pela OCB
   14 de abril de 2022   │     20:34  │  0

De acordo com o Mapa das Empresas do Ministério da Economia Alagoas tem, no levantamento atualizado até março deste ano, 277 cooperativas, sendo 206 matrizes e 71 filiais. Destas apenas 79 estão registradas na OCB/Alagoas (Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Alagoas).

Á OCB já chegou a ter mais de 150 cooperativas registradas em Alagoas, mas esse número foi sendo reduzido nos últimos anos, a ponto de chegar, em fevereiro deste ano com apenas 32 cooperativas registradas e consideradas regulares pelo sistema cooperativista no Estado.

A falta de representatividade não parece ser um problema do cooperativismo alagoano, mas da forma como a OCB vem sendo administrada em Alagoas.

Mesmo sem o apoio da direção da entidade, algumas cooperativas avançam e se consolidam em seus ramos de atividades, a exemplo da Unimed, Uniodonto, CPLA, Pindorama e Sicredi. Juntas, somente estas cooperativas tem mais de 30 mil cooperados e movimentam mais de R$ 1 bilhão por ano na economia de Alagoas.

O afastamento da atual diretoria da OCB/AL da maioria das cooperativas, no entanto, não impediu que cooperativas avançassem na sua atuação com o setor público ou com outras instituições. Por iniciativa da Unicafes/AL (União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária em Alagoas), o governo de Alagoas reativou este ano o Conselho Estadual do Cooperativismo (Conecoop), foi aprovada lei que beneficia pequenas cooperativas da agricultura familiar e lançado, em parceria com Sebrae, AMA e outras instituições o programa Na Rota da Merenda Legal.

Líderes do setor cooperativista em Alagoas, entre eles Klécio Santos, Maurílio Ferraz, Aldemar Monteiro e Antonino Cardozo, defendem mudanças na OCB/AL para que a entidade ajude a fortalecer ainda mais o cooperativismo em Alagoas.

“O fortalecimento do cooperativismo em Alagoas passa pela OCB. Infelizmente a entidade está afastada da maioria das cooperativas. Defendemos mudanças para que o sistema OCB/AL seja uma referência de todas as cooperativas, não apenas de um pequeno grupo ligado a atual diretoria. Para se ter ideia da falta de compromisso, até agora a direção da OCB/AL nem sequer nomeou seus representantes para o Conecoop, que é um conselho oficial do Estado”, aponta Cardozo, presidente da Coopaiba.

Foi a partir dessa percepção, aponta Antonino, que surgiu o movimento Muda OCB/AL. “Nos reunimos, discutimos com todos os ramos do cooperativismo o que podemos fazer para fortalecer nosso setor. Por isso apresentamos princípios e propostas de atuação voltadas para o fortalecimento da OCB em Alagoas, com base na democracia, ampla participação e transparência”, afirma.

Estas propostas, adianta Cardozo, serão apresentadas por chapa inscrita que vai concorrer a eleição da nova diretoria da OCB em Alagoas no próximo dia 20.

“Nossa cooperativa não poderá votar nessa eleição, porque tivemos negado o registro na OCB. A Coopaiba, mesmo com mais de dez anos de fundada, com mais de mil cooperados, com atuação reconhecida pela sociedade, foi excluída por atos da atual diretoria que consideramos arbitrários. O mesmo aconteceu em relação ao registro ou regularização de diversas outras cooperativas, a exemplo da Coobapi, Capial, Carpil, Unimeds e tantas outras, que não vão poder votar no próximo dia 20. É por isso, para que todos participem, que defendemos mudanças”, aponta.

Cardozo também se diz preocupado com tentativas de manipular o resultado da eleição: “enquanto cooperativas conhecidas ficam de fora, outras criadas a toque de caixa, na última hora, vão ter direito a voto. Apesar disso tudo, acreditamos que nosso movimento será vitorioso, porque estamos defendo o que é melhor para o cooperativismo de Alagoas”, aponta.

Versão oficial

Veja texto da assessoria

Movimento Muda OCB apresenta propostas para fortalecer cooperativismo em Alagoas 

A Chapa Muda OCB/AL apresentou nesta quinta-feira,14, em suas redes sociais as propostas e princípios registradas  para as eleições da Organização das Cooperativas Brasileiras em Alagoas (OCB/AL), que vai acontecer na próxima quarta-feira,20. O grupo propõe o fortalecimento do cooperativismo em Alagoas através do resgate da representatividade da OCB, após a notória ausência do órgão nas atividades do setor.
 
Segundo a presidente da Cooperativa de Enfermagem de Alagoas (Coopeal), Edilma Fernandes Vilela, o  plano prevê a criação de programa de auxílio às pequenas cooperativas em dificuldades; fortalecimento das estratégias de autofinanciamento das cooperativas, além da defesa uma de uma política fiscal que apoio e fomento do cooperativismo do Governo do Estado . 

“Primeiramente, a chapa Muda OCB quer resgatar a  atuação da OCB para que setor retome à  liderança em cooperativismo, acompanhando o crescimento exponencial desse setor em todas as regiões. Esse é um compromisso do grupo em resgatar a OCB e fazer uma entidade de todos”, explicou Vilela. 

O plano da Chapa também traz a aplicação de programas e  parcerias com instituições como o Sebrae e o Instituto Federal de Alagoas (Ifal) para o fortalecimento de ações cooperativistas. 
“O trabalho de organização e desenvolvimento da Chapa Muda OCB, deverá acrescentar mais transparência e atenção às cooperativas”, alega a presidente da Coopeal. 

A Chapa Muda OCB também apresentou os princípios que serão aplicados à sua gestão.  O movimento defende: inclusão e participação, transparência na gestão; democracia; intercooperação; igualdade; educação e formação; expansão e fortalecimento do conhecimento do cooperativismo, além da representação de todos ramos e o resgate institucional.