Quadro definido em AL: no “último” dia só o PSB deve mudar posição
   14 de agosto de 2022   │     20:38  │  0

Salvo fato novo, o quadro político está definido em Alagoas para as eleições deste ano, com a formação de quatro grandes frentes para a disputa das eleições majoritárias no Estado.

Paulo Dantas, Fernando Collor, Rodrigo Cunha e Rui Palmeira são os candidatos a governador considerados mais competitivos. A disputa para o Senado deve se resumir a dois candidatos competitivos – Renan filho e Davi Davi no filho.

O fechamento ou retificação de atas das convenções partidárias ocorre até esta segunda-feira 15. E enquanto aida tem prazo para mudar as decisões ja tomadas, os boatos continuam.

Rui Palmeira, por exemplo, é alvo de novas especulações. Há quem acredite que ele ainda pode desistir de disputar o governo para tentar  uma vaga de deputado federal, mas  não tem nada de concreto nesse sentido.

O certo é que Rui disputará o governo pelo PSD, com apoio do Republicanos e do Patriota.

O senador Fernando Collor já confirmou a sua candidatura ao governo do Estado com o apoio do seu partido PTB,  do PL e do Agir.

A dúvida agora fica nas coligações de Paulo Dantas e Rodrigo Cunha. Um terá mais partidos, o outro  deverá ter mais tempo de televisão.

O senador Rodrigo Cunha depende agora da formalização do apoio do PSB de JHC para tentar ter um tempo maior de TV do que Paulo Dantas. Na coligação do seu partido, o União Brasil, estão PSDB, Cidadania, PP e, se confirmado o PSB, o tempo de televisão será maior.

Já o Solidariedade aparece nas atas tanto da coligação do União Brasil quanto do MDB. Para o de vai o SD? A decisão será judicial.

Dantas terá o maior número de partidos. Além do MDB, vai ficar com PT, PV, PCdoB, PDT, PSC, Podemos e pode levar também o SD, dependendo da questão judicial.

Existe uma forte sinalização de que o PSB, partido que sairia isolado e lançaria um candidato ao Senado, o Major Diego, deve mudar de posição e participar da coligação do senador Rodrigo Cunha. Tudo isso aconteceu depois que o UB resolveu indicar João Caldas suplente de senador de Davino Filho. Mas essa é outra história.