Rodrigo e Paulo sob “ataque”: veja como foi o debate na TV Pajuçara
   24 de setembro de 2022   │     18:33  │  0

Nas redes sociais dos candidatos ao governo de Alagoas pode se deduzir que o debate realizado neste sábado pela TV Pajuçara teve ao menos três vencedores. Depois do “confronto”, Rui Palmeira (PSD), Rodrigo Cunha (UB) e Paulo Dantas (MDB) anunciaram que ‘venceram’. Fernando Collor (PTB), mesmo com bom desempenho, preferiu reproduzir falas onde se saiu melhor, focado em propostas.

Com regras rígidas, o debate que começou ao meio dia, chegou a ser enfadonho em alguns momentos e teve seus melhores momentos no confrontos diretos com perguntas livres entre os candidatos, na primeira etapa – antes da interrupção para transmissão do horário eleitoral gratuito.

Mesmo com seis candidatos – além dos quatro, Luciano Almeida (PRTB) e Cícero Albuquerque (PSOL) – participando, dois deles se transformaram em alvos preferidos.

Paulo Dantas foi provocado principalmente acerca de acusação de participação em suposto esquema de corrupção na Assembleia Legislativa. “Não sou investigado nesse inquérito”, disse ao respondeu pergunta de Rodrigo Cunha sobre o Inquérito 137/2017 da Polícia Federal. O candidato do UB também citou o fato do pai do atual governador, Luiz Dantas ter confirmado as acusações.

“Rodrigo Cunha você é uma vergonha para a política e para toda Alagoas. Editou um vídeo com a identidade de meu pai, colocou um inquérito de 2017, no qual não sou investigado. Você é uma farsa. Esse vídeo caiu por fake news Você mente. Você já foi condenado duas vezes por fake news, você uer colocar o pai contra o filho, você trabalha para destruir uma família. Para meu pai todo o meu cuidado e amor, para você Rodrigo Cunha meu desprezo e um processona Justiça”, reagiu Dantas.

“Emparedado” por Luciano Almeida, ao ser acusado de “dar as costas” para Téo Vilela em troca de fundo partidário e orçamento secretário, Rodrigo Cunha se esquivou falando de impostos. O candidato do UB também evitou falar da aliança com Arthur Lira (PP), minimizando o papel do presidente da Câmara dos Deputados na sua eleição.

Ao questionar Rui Palmeira a quem acusou de deixar Maceió com a passagem de ônibus mais cara do país, o candidato do UB foi para uma troca de golpes aberta.

“Rodrigo Cunha você é mentiroso. Nunca Maceió no meu período de governo teve passagem mais cara do Brasil”, disse Palmeira que citou ações da sua gestão para melhorar os transportes públicos. Em seguida, Rui partiu para o contra-ataque.

“Não sabia que o JHC era candidato, o candidato é o Rodrigo Cunha. Você tem que dizer o fez pela mobilidade de Maceió. Não só pela mobilidade. Tem algum recurso seu para asfalto, saneamento, para uma avenida nova? Não tem Rodrigo Cunha, porque seu mandato foi fraco, foi xoxo”, disse, acrescentando que “eu ao contrário do senhor tenho as mãos limpas, a ficha limpa, não tenho tutor na sua campanha, o senhor deixou seu partido e caiu de cabeça num partido comandado por Arthur Lira”.

“Rui Palmeira, é triste falar isso, aonde você está chegando, você que tem um nome a honrar do seu pai, se sujeitar a mentir e fazer ataques de forma necessária”, disse ao citar ações que teria realizado em todo o Estado.

Se você não viu o debate, pode ver e rever a qualquer momento e tirar suas próprias conclusões. É só acessar aqui o link da transmissão feita pelo TNH1 em parceria com a TV Pajuçara.

Debate na TV Pajuçara (Foto: reprodução)

As propostas

Nas apresentações e considerações finais, os candidatos tiveram oportunidade de falar direto com o eleitor. Aqui o vai um resumo feito pelo TNH1, que retransmitiu o debate pelo You Tube (veja no link abaixo)

Cícero Albuquerque – O candidato do PSOL disse ter esperança de contar com o eleitorado alagoano para no dia 02 de outubro dar resposta às candidaturas poderosas. “Não sou camaleão, daquele tipo que muda de posição conforme a situação. Temos aqui nesse debate quem era Lula e agora é Bolsonaro, tem quem era Bolsonaro e agora é Lula. Não sou militante de última hora e não assumo causa por necessidades. Estou aqui credenciado por essa história e acredito naquilo que defendo.

Fernando Collor – O candidato do PTB defendeu o voto em nome de Deus, pátria, família e liberdade. “Minha gente amiga de Alagoas, sou Fernando Collor, número 14. Trago para todos vocês uma experiência de vida e maturidade que me permitem hoje dizer o que quero pretendo fazer como governador de Alagoas e demonstrar que tenho capacidade para isso, já demonstrei também no passado”, disse acrescentando que vai acabar com “terrorismo fiscal” no estado.

Rodrigo Cunha – O candidato do União Brasil ressaltou a história de vida já conhecida pela população alagoana. “Você que está em casa, me conhece. Quem está aqui é o Rodrigo de sempre. Filho de Ceci Cunha e Juvenal. Minha fé é grande para estar aqui e enfrentar esse time que se une contra mim. Tenho lutado demais para que esse estado não ande para trás. Estou preparado, porque a vida me preparou para este momento”.

Luciano Almeida – O candidato do PRTB frisou os quase 30 anos de experiência na advocacia que, segundo ele, os prepararam para o desafio de concorrer ao governo do estado. “Estou aqui com um propósito de trazer a você alagoano uma nova visão sobre política. Uma máquina enxuta, com valorização do servidor público e com um tripé formado pela saúde, segurança e educação”.

Paulo Dantas – O candidato MDB chamou lembrou ter experiência em outros cargos e, como governador-tampão, destacou a continuidade e novas ações à frente do Executivo Estadual. “Fui prefeito, deputado, hoje governador. Sou ficha limpa, homem transparente e correto. Não vou permitir que nada pare. Sou do campo popular. Tenho andado os quatros cantos de Alagoas defendendo as candidaturas do presidente Lula e do senador Renan Filho”, disse ao listar ações como a maratona de cirurgias e criação de auxílios.

Rui Palmeira – O candidato do PSD também destacou a experiência no campo público, dando ênfase ao trabalho na Prefeitura de Maceió, a qual esteve à frente entre os anos de 2013 e 2020. “Tenho muito orgulho da minha história, do meu sobrenome, do meu pai. Fui deputado estadual, federal, prefeito eleito e reeleito. Tenho a ficha limpa, tenho as mãos limpas e não respondo a qualquer tipo de processo. Fiz em Maceió e vou fazer muito mais por Alagoas”, disse ao pedir que os eleitores comparem os candidatos.

Veja aqui o debate na íntegra: Debate 1º Turno – Governo de Alagoas – YouTube