E se fosse seu pai?
   27 de setembro de 2022   │     22:27  │  2

Não conheço família perfeita. De pequenas divergências a brigas fratricidas, tem de tudo. Na maioria das vezes, o amor vence.

A regra é a união, o apoio. Irmão apoia irmão, pai e mãe zelam por filhos. A regra tem exceção. Irmão briga com irmão, filho se volta contra pai e mãe. A exceção tem exceção. Não é nada comum ver um pai se voltar contra os filhos – em nenhuma situação.

E quando algo assim acontece, de um pai – que tudo aparenta ter, até o amor da família – se voltar contra filhos, a reação é de perplexidade. Pura e simples. De incredulidade.

O que pode levar você, como pai, a se voltar contra seus filhos?

Alagoas discute agora um drama familiar que se tornou público. Sem fulanizar, me coloco no papel de filho e pai que sou.

Como pai, não consigo imaginar nenhuma situação em que me voltaria contra meus filhos. Nenhuma!

Como filho, nunca vivi nada parecido. Os puxões de orelhas de meu pai – e foram poucos, felizmente – não me causaram nenhum prejuízo, nenhum trauma.

Posso dizer que sou grato por quase todas as “correções” paternas.

Assim, não consigo compreender o tema que domina Alagoas hoje, de um pai que prega contra o filho aos quatro cantos, quando o recomendável seria se ater a quatro paredes.

Além da razão, além da emoção pura e simples, realmente não compreendo.

E entenderia ainda menos se fosse meu pai. Por isso eu te pergunto: e se fosse seu pai?

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Gustavo Lamenha

    Meu caro, infelizmente ele não pensou nos filhos, em nenhum deles. Luis, priorizou o dinheiro, isso é nojento. Homem sem caráter e dignidade.

  2. Interiorano

    Edivaldo, o seu artigo está corretíssimo! Não sei se já ocorreu algo e ou ocorre e que o pai está tentando alertar o filho! Não sei! Também, não vou entrar nessa seara! Só sei que até hoje, agradeço por tudo o que o meu pobre e falecido pai sempre fez por mim! Até as repreensões, pisas/surras, puxões de orelhas, cascudos, etc, só me fizerem compreender como se deve agir quando crescer, para se tornar um homem de bem! E hoje, se sou ou que sou, agradeço primeiramente a Deus e imensamente ao meu pai que diga se de passagem, era pobre, trabalhador, honesto, não tinha leitura e nunca andou fazendo coisas erradas!

Comments are closed.