“Primos pobres”: veja quanto cada candidato a estadual recebeu do “fundão” ou receitas próprias em AL
   27 de setembro de 2022   │     0:28  │  0

Financiadas pelo fundo eleitoral, o fundão, as campanhas de candidatos a estadual, federal, senador e governador já receberam mais de R$ 128 milhões de recursos públicos em Alagoas este ano.

As campanhas também receberam pouco mais de R$ 8 milhões de recursos privados, totalizando receitas acima de R$ 137 milhões. Do total de recursos declarados à Justiça Eleitoral, 93,5% são públicos e cerca de 6,5% privados.

Essa informação é importante porque alguns candidatos não receberam nenhum centavo do fundão, enquanto outros receberam milhões

De acordo com as estatísticas do TSE, a eleição mais cara é a dos candidatos a deputado federal, que já recebeu mais de R$ 61,8 milhões, sendo R$ 57,6 milhões oriundos do “fundão”.

A eleição de menor custo é a de senador, com R$ 7,1 milhões, sendo R$ 6,1 milhões do fundo eleitoral. A de governador já recebeu mais de R$ 16,3 milhões, sendo 16,1 milhões do “fundão”.

As campanhas “mais em conta”, individualmente, são as de deputados estaduais. Até o domingo, 25, os 282 candidatos ao cargo este ano em Alagoas tinham recebidos R$ 18,1 milhões, sendo R$ 14,8 milhões do fundo eleitoral.

A média de receita para cada candidato a deputado estadual é de cerca de R$ 64,4 mil. Já média de receitas para candidatos a deputado federal chega a R$ 336,1 mil ou mais de 5 vezes maior.

Até o momento, apenas três candidatas tiveram receitas acima de R$ 1 milhão, todas do PP (veja a lista abaixo).

Alguns candidatos com chances de vitória em Alagoas no pleito deste ano podem ser eleitos com campanhas com gastos modestos, se considerados os recursos do fundão. Um detalhe, no entanto, chama a atenção. De acordo com o TSE, apesar de ter arrecadado “apenas” R$ 18 milhões, a eleição de estadual em Alagoas contratou despesas de R$ 74 milhões até o momento – sinal de que a conta será paga por candidatos a federal, Senado ou governo ou, pior, que pode ficar no “pendura”.

No “papel”, a prestação de contas no Divulgacand do TSE, o limite de gastos por candidato a deputado em Alagoas é de R$ R$1.270.629,01. No papel….

O blog do Edivaldo Junior fez um levantamento no DivulgaCand do TSE (faça aqui sua pesquisa) com os partidos que tem candidatos a deputado disputando a reeleição ou são considerados por analistas como “competitivos”, com chances de eleger ao menos um estadual em Alagoas.

Mais uma vez, o PP do presidente da Câmara dos Deputados Arthur Lira é, o partido que mais distribui Fundo Eleitoral até o momento em Alagoas para candidatos a deputado estadual. São mais de R$ 4,6 milhões. O MDB, com pouco mais de R$ 3,4 milhões é o partido com a segunda maior distribuição de de Fundo Eleitoral em Alagoas para estadual em Alagoas. O partido tem 14 candidato à reeleição.

O “fundão”, apesar de “modesto” atende plenamente alguns candidatos a estadual em Alagoas. Quem tem chances de eleição, no entanto deve fazer campanhas mais caras. Na “real”, a estimativa é que um candidato a deputado estadual que faz campanha na base da “estrutura” gaste de R$ 3 milhões a R$ 7 milhões, podendo em alguns casos chegar a R$ 10 milhões na campanha. Mas essa é outra história.

Acesse aqui o DivulgaCand e veja quanto cada candidato já recebeu para a campanha deste ano

(*atualizado às 19h20 do dia 27 de setembro de 2022).