Maceió “exporta” empregos por falta de um novo polo industrial
   28 de setembro de 2022   │     21:12  │  0

Indústrias de diferentes setores, em especial de alimentos, tem deixado Maceió para ampliar suas plantas em cidades da região metropolitana, a exemplo de Pilar, Murici, Rio Largo e Marechal Deodoro.

A movimentação acontece, explica o líder comunitário e secretário Executivo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Allan Pierre, porque o distrito industrial Luiz Cavalcante já não consegue mais atrair novas empresas para a cidade por falta de áreas disponíveis.

“Maceió está exportando empregos. Sem novas áreas disponíveis no local, indústrias que já funcionam na capital e precisam ampliar a área instalada estão migrando para outros municípios da região metropolitana”, aponta.

Esse é o caso do macarrão Pajuçara e Copra, que construíram novas unidades em Pilar e Murici.

Segundo Allan, Maceió tem tudo para atrair novas indústrias. Aeroporto, porto, a maior malha rodoviária do Estado e mão de obra qualificada.

“A ideia de construir um novo polo industrial, foi apresentada por nós e ganhou força na campanha eleitoral de 2020. Alguns candidatos, inclusive JHC que foi vitorioso, assumiram o compromisso de construir o polo. E o projeto começou a andar. Fui convidado para a Sedetur-AL e já conseguimos avançar no projeto, mas é preciso agora garantir os recursos para tirar a ideia do papel”, aponta Allan.

Nas eleições deste ano, mesmo não disputando nenhum cargo, o líder comunitário conseguiu colocar a proposta de construção do novo polo em evidência. “Alguns candidatos, a exemplo de Renan Filho (Senado), Paulo Dantas (governo), Rafael Brito (deputado federal) e Alexandre Ayres (deputado estadual) assumiram com nosso movimento o compromisso de viabilizar o novo polo, que será localizado da região do Benedito Bentes. Outros candidatos também estão abraçando nossa causa. O que queremos é que esse polo seja construído”, enfatiza.

A proposta de Allan Pierre é que o polo seja construído na região do Benedito Bentes, em área próxima a rodovia com interligação para a região norte de Alagoas e para o aeroporto de Maceió. “Defendo a união do setor público e do setor produtivo, afinal, está claro que nossa capital precisa de um novo polo industrial, um novo equipamento que tem capacidade de gerar mais de 10 mil empregos

Allan Pierre (Foto: divulgação)

diretos”, aponta.